Bovespa se segura no final e tem 9ª alta consecutiva

Ibovespa sobe 0,07%, aos 51.574 pontos, e passa a acumular ganho de 6,92% no mês; no ano, índice ainda perde 15,39%

Claudia Violante, da Agência Estado,

19 de agosto de 2013 | 17h48

A volatilidade marcou o pregão desta segunda-feira, 19, no mercado acionário doméstico, em boa medida pelo exercício de opções sobre ações. Apesar disso, o índice operou a maior parte do tempo em alta, na contramão do exterior, sustentado por siderúrgicas e papéis favorecidos pela alta do dólar, como Fibria e Suzano. Na reta final, o índice ameaçou cair, mas conseguiu registrar a nona elevação consecutiva.

O Ibovespa terminou com ligeira alta de 0,07%, aos 51.574,09 pontos. Na mínima, registrou 51.115 pontos (-0,82%) e, na máxima, 52.089 pontos (+1,07%). No mês, acumula ganho de 6,92% e, no ano, perda de 15,39%. Nas nove altas seguidas, avançou 8,75%. O giro financeiro totalizou R$ 12,863 bilhões, dos quais R$ 4,02 bilhões referem-se ao exercício. Os dados são preliminares.

A alta do dólar no mercado cambial influenciou as ações na Bovespa, principalmente papéis de empresas exportadoras. Fibria e Suzano tiveram desempenho firme, a primeira em alta de 6,81%, a terceira maior do Ibovespa, e a segunda, de 3,97%.

Vale também tem a ganhar com a valorização do dólar, mas a mineradora acabou sentindo mais forte o impacto do exercício. Passado o vencimento, muitos investidores tiveram que se ajustar, como comprar papéis para entregar naqueles contratos em que foram exercidos, e as ações preferenciais, que são as que concentram as opções, subiram. Isso valeu também para Petrobrás PN. Vale ON, -0,52%, PNA, +0,56%, Petrobrás ON, -1,51%, PN, +0,28%. Na última sexta-feira, 16, a estatal petrolífera anunciou a venda de ativos no total de US$ 2,1 bilhões.

As siderúrgicas foram o destaque do dia, depois de notícias sobre reajustes de preços por Gerdau, Usiminas e CSN. Gerdau PN avançou 5,78%, Metalúrgica Gerdau PN ganhou 5,51%, Usiminas PNA saltou 6,20% e CSN ON teve uma arrancada de 6,35%.

Gerdau teria anunciado novo reajuste de preços, de 8% para o vergalhão, para setembro. Já a CSN, aumentos entre 5,5% e 6,75%, que devem entrar em vigor ainda em agosto, e Usiminas, entre 5% e 6%, a partir do próximo dia 21. Além disso, o HSBC elevou a recomendação de Gerdau.

No exterior, as Bolsas fecharam em baixa. O Dow Jones recuou 0,47%, aos 15.010,74 pontos, o S&P terminou com perda de 0,59%, para 1.646,06 pontos, e o Nasdaq teve retração de 0,38%, a 3.589,09 pontos.

A agenda esvaziada e a expectativa com relação à ata da última reunião do Federal Reserve, que será divulgada na quarta-feira, 21, deixaram os investidores na defensiva.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.