Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bovespa segue em baixa pressionada pela Petrobrás

Às 15h30, o principal índice da Bolsa paulista registrava desvalorização de 0,64%, aos 67.673 pontos

Agência Estado,

16 de setembro de 2010 | 15h20

A Bovespa opera em queda nesta quinta-feira, 16, seguindo a direção dada por Wall Street, com investidores ainda preocupados com a recuperação da economia global. A queda dos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA para o menor nível em dois meses não foi suficiente para alterar o humor do mercado. Ações de empresas consideradas defensivas sobem e impedem uma queda maior do Ibovespa.

Às 15h30, o principal índice da Bolsa paulista registrava desvalorização de 0,64%, aos 67.673 pontos. O giro financeiro era de R$ 3,3 bilhões, com previsão de R$ 5,29 bilhões para o fechamento. No mesmo momento, o Dow Jones operava de lado, registrando leve alta de 0,08%, enquanto o S&P 500 caía 0,22%.

Operadores lembram que os negócios na Bovespa seguem travados por conta da oferta pública da Petrobrás. Com a queda dos papéis da estatal fica mais difícil para o Ibovespa retomar o caminho de alta. As ações da petroleira brasileira reduzam o ritmo de perdas dos últimos dias, mas ainda operam de lado, com PN recuando 0% e ON cedendo 0,47%.

Hoje acaba o período de reserva da oferta prioritária, na qual serão distribuídas até 80% da quantidade inicial de ações, também os Fundos Mútuos de Privatização (FMP) têm até esta quinta-feira para aderir à oferta. Com isso, seguirá a coleta de intenções de investimentos (bookbuilding) das ofertas de varejo para pessoas não vinculadas e dos fundos FIA-Petrobras, que têm prazo até o próximo dia 23.

A expectativa é de que os papéis da empresa permaneçam pesados até a semana que vem, com investidores pressionando por uma redução no preço das ações da estatal, na tentativa de obter um valor mais baixo na oferta.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaaçõesPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.