Bovespa segue NY e fecha em alta de 2%

O Ibovespa encerrou a terça-feira na máxima, com forte valorização de 2,03%, a 37.541,4 pontos, e volume financeiro de R$ 1,93 bilhão. A bolsa ganhou estímulo das altas dos principais indicadores acionários dos Estados Unidos (EUA) e do ganho do petróleo, que fez as ações da Petrobras dispararem mais de 3%. A escolha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como candidato à presidência pelo PSDB, também auxiliou no tom positivo. As bolsas em NY foram impulsionadas pelo ajuste para baixo do juro dos títulos do Tesouro norte-americano (Treasuries), que ganhou impulso após a queda acima do previsto das vendas no varejo em fevereiro e do déficit em conta corrente maior do que o esperado. As vendas no varejo tiveram retração de 1,3% ante previsão de -0,8%, mas o dado de janeiro foi revisado de um aumento de 2,3% para 2,9%. Já o déficit em transações corrente no quarto trimestre atingiu déficit recorde de R$ 224,9 bilhões, acima da estimativa de US$ 219,5 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.