Bovespa segue volátil; Pão de Açúcar vira e cai

Há pouco, as ações PN do Pão de Açúcar registravam baixa de 1,02%, após subir 12% na manhã de hoje  

Luciana Collet, da Agência Estado,

29 de junho de 2011 | 15h22

A Bovespa segue volátil, mas se mantém acima dos 62 mil pontos. As ações do Pão de Açúcar que foram destaque de ganhos durante a manhã mudou de direção e agora têm queda.

Às 15h30, o Ibovespa tinha leve ganho de 0,03%, aos 62.321,86 pontos, após de alcançar mínima de 62.033 (-0,43%) e a máxima de 62.625 pontos (+0,52%). Em Wall Street, o Dow Jones avançava 0,49%, o Nasdaq subia 0,06% e o S&P ganhava 0,51%.

Segundo analistas, a aprovação do pacote de austeridade fiscal pelo Parlamento da Grécia foi positiva, mas ainda há dúvidas sobre a implementação das medidas.

Há pouco, as ações PN do Pão de Açúcar registravam baixa de 1,02%, a R$ 72,65, após subir 12% na manhã de hoje em continuidade ao movimento observado ontem, quando os papéis avançaram 12,64%, refletindo o anúncio de proposta de fusão da companhia com as operações brasileiras do Carrefour.

A valorização da rede varejista na Bolsa paulista perdeu o fôlego em meio a notícias de que o departamento jurídico da Companhia Brasileira de Distribuição (CBD) enviou carta proibindo a negociação com ações da CBD e da Globex por todos os controladores, acionistas e pessoas que possam ter informação privilegiada com a negociação da fusão do grupo com o Carrefour.

No comunicado, ao qual a Agência Estado teve acesso, a empresa lembra que o descumprimento da proibição poderá resultar em sanções pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Desde a tarde de ontem, circulavam nas mesas de operações comentários de que a alta dos papéis estaria ligada a operações realizadas por acionistas do Pão de Açúcar, incluindo o Casino. "Ninguém no mercado entendeu porque as ações subiam tanto com a notícia de uma operação que carrega incertezas", disse um operador. Ao mesmo tempo o mercado viu como positivo a participação do BTG e da Estater na operação, acreditando que as duas empresas não entrariam na transação se houvesse muito risco. Por isso, desde ontem esperava-se volatilidade das ações e não a forte alta como aconteceu.

O sócio Casino continua se manifestando contra a fusão, embora ontem à tarde fonte ligada ao grupo francês tenha dito que a operação será estudada. Hoje publicou na imprensa comunicado sobre a proposta de fusão. "Trata-se de uma proposta estruturada em conjunto, com o objetivo de frustrar as disposições do acordo de acionistas que regem a CBD e, indiretamente, expropriar do Casino os direitos de controles adquiridos e pagos no ano de 2005", diz a companhia francesa, no comunicado.

O dólar comercial registrava queda de 0,38% a R$ 1,572.

 

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaPão de Açúcar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.