Bovespa sobe 0,10%, mas pregão se define após as 11h

A Bolsa de Valores de São Paulo pode se recuperar um pouco ainda do tombo de quarta-feira, dando continuidade ao movimento ontem, pelo menos até as 11 horas, horário previsto do discurso do presidente do banco central americano, Ben Bernanke. Ele vai falar num simpósio econômico sobre globalização. Os investidores esperam que Bernanke dê algum sinal sobre inflação ou atividade nos EUA, especialmente depois dos dados divulgados anteontem e ontem mostrando forte recuo nas vendas de imóveis usados e novos. O índice Ibovespa abriu em alta e avançava 0,10% às 10h05, a 35.831 pontos. Nos EUA, os índices futuros de ações registram baixa moderada, de 0,06% (Nasdaq) e -0,02% (S&P 500). Na Europa, o sinal das bolsas também é levemente negativo. Além da expectativa com Bernanke, o mercado mantém uma certa cautela por causa da alta de mais de 1% nas cotações de petróleo, refletindo a preocupações dos investidores com o início da formação de uma tempestade tropical perto do Golfo do México. Apesar de ter fechado o pregão de ontem em alta de 0,80%, depois de ter oscilado durante o dia, os analistas são unânimes em dizer que a volatilidade deve dar o tom da Bolsa nos próximos dias por conta das incertezas em relação ao ritmo de desaquecimento da economia norte-americana. Ao contrário desta semana, que foi mais fraca em indicadores econômicos, a próxima semana será de forte emoções e pode render muitos debates. Nos EUA, sai a minuta da última reunião do comitê de mercado aberto (Fomc), que manteve inalterada a taxa de juro em 5,25% ao ano, e o índice de preços PCE do mês de julho. No Brasil, o Comitê de Política Monetária se reúne e o IBGE divulga o PIB do segundo trimestre.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2006 | 10h10

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.