Bovespa sobe 0,36% puxada por ações da Vale e Petrobrás

Bolsa tem sua segunda sessão seguida de ganhos, mas no mês acumula perdas de 2,62% e, no ano, de 10,96% 

Claudia Violante, da Agência Estado,

12 de março de 2014 | 17h52

SÃO PAULO - A Bovespa teve hoje sua segunda sessão seguida de ganhos, ao repetir a alta de 0,36% da véspera, puxada pelo desempenho positivo de Petrobrás e Vale. Os ganhos nestas três sessões positivas de março - o índice havia subido ainda no dia 6 -, entretanto, foram insuficientes para apagar as perdas no mês, superiores a 2%.

O Ibovespa terminou o dia em alta de 0,36%, aos 45.861,81 pontos. Na mínima, registrou 45.508 pontos (-0,42%) e, na máxima, 45.916 pontos (+0,48%). No mês, acumula perdas de 2,62% e, no ano, de 10,96%. O giro financeiro totalizou R$ 6,202 bilhões.

A queda recente das ações e a alta do preço do minério, hoje de +2,4%, para US$ 107,4 a tonelada, ajudou na recuperação de Vale e siderúrgicas. Papel e celulose também fez a mesma trajetória na sessão.

Petrobrás contou com uma ajuda para subir. O Credit Suisse deu destaque aos preços bastante baixos do papel e elevou a recomendação para as ADRs (PBR) da estatal, de underperform para neutro, após os títulos acumularem queda de 40% desde novembro do ano passado. Assim, mesmo que não seja uma recomendação de compra efetiva, é uma sugestão para que o investidor reverta sua posição vendida. O preço-alvo foi mantido em US$ 14,00.

As ações da petrolífera perderam fôlego no final, mas ainda assim registraram +0,80% na ON e +1,60% na PN. Vale ON avançou 1,90% e a PNA, 1,38% (+2,37% na máxima).

As elétricas também recompuseram preços, depois do desempenho fraco recente e da ajuda do governo, após a CDE ter transferido R$ 1,2 bilhão para as distribuidoras para ajudar a bancar a compra de energia mais cara.

O setor praticamente monopolizou a lista de maiores altas do Ibovespa. Energias do Brasil ON subiu 5,50%, a maior alta do índice, seguida por Eletrobras ON (+5,32%), Eletrobras PNB (+4,48%), Light ON (+3,17%). CPFL ON (+2,74%), Cesp PNB (+2,72%), Cemig PN (+2,15%).

A lista de maiores quedas do Ibovespa era formada por Usiminas PNA (-2,85%), Vivo PN (-2,11%) e Qualicorp PN (-2,06%). No setor siderúrgico, Gerdau PN, +1,23%, Metalúrgica Gerdau PN, +2,16%, e CSN ON, +0,92%.

No setor financeiro, os bancos operaram boa parte do dia em queda. À tarde, o STJ adiou, pela segunda vez, o julgamento do recurso que definirá uma posição da Corte sobre o momento de aplicação dos juros de mora às diferenças apuradas no rendimento de cadernetas de poupança decorrente de expurgos inflacionários de planos econômicos das décadas de 80 e 90. O processo, previsto na pauta de hoje, deve voltar à Segunda Seção do tribunal no dia 26 de março.

Os papéis melhoraram no final: Itaú Unibanco (-1,94%), Banco do Brasil (+0,16%), Santander unit, (-1,04%), Bradesco PN (+0,63%).

No exterior, as bolsas norte-americanas se recuperaram e ajudaram a Bovespa. O Dow Jones encerrou em baixa de 0,07%, aos 16.340,01 pontos, longe das mínimas. O S&P virou e subiu 0,03%, em 1.868,19 pontos, e o Nasdaq avançou 0,37%, aos 4.323,33 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.