Bovespa sobe 0,63%, puxada pelas bolsas internacionais

A Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta hoje, espelhando o bom desempenho das bolsas européias e dos índices futuros de ações dos EUA e apesar de o petróleo subir quase 1% em Nova York. O índice Ibovespa operava em alta de 0,63% às 10h13, na máxima do dia até agora. A ata do Banco Central sobre a redução dos juros básicos na semana passada, divulgada hoje cedo, veio mais ou menos dentro do esperado, reforçando as expectativas de corte mais moderado da taxa Selic, de 0,25 ponto porcentual, na reunião do final de agosto. Mas, segundo operadores, o efeito na Bolsa paulista por enquanto tende a ser neutro. O mercado de ações continua com as atenções voltadas para Nova York e esperando a volta do fluxo de recursos estrangeiros. Mas não há dúvidas de que o estresse diminuiu e, ontem, a divulgação do Livro Bege (sumário das condições da economia americana) deu mais argumentos aos que esperam uma pausa no ciclo de alta do juro nos EUA e uma desaceleração suave da economia. Mas os dados divulgados hoje nos EUA, encomendas de bens duráveis em junho e pedidos de auxílio desemprego semanal, sinalizam que a economia não está desaquecida. As encomendas de duráveis cresceram 3,1%, acima da previsão de 2%, e os pedidos de auxílio-desemprego caíram 7 mil, contrariando expectativa de crescimento de 6 mil pedidos. Aqui, os papéis de Telemar devem continuar no centro das atenções. A empresa anunciou crescimento de 38,66% no lucro líquido no segundo trimestre, para R$ 282,6 milhões, em relação ao mesmo período do ano passado.Ontem, as ações de Telemar subiram quase 3% com a expectativa sobre o balanço e com rumores sobre mudanças no plano de reestruturação societária da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.