Bovespa sobe 1,83%; ações da Vale se destacam

A oscilação continua acentuada hoje na Bolsa de Valores de São Paulo e seu principal índice (Ibovespa à vista) já oscilou da mínima de -1,24% à máxima de +1,83%, a 34.248 pontos, às 12h34. O volume de negócios começa a encorpar: soma R$ 852 milhões e projeta R$ 2,12 bilhões até o final do dia. Segundo operadores, o dinheiro é pouco e o mercado se comporta ao sabor do fluxo financeiro - ninguém aposta nem que as ondas de compra de ações nem as de venda de sustentem. Logo a volatilidade deve prosseguir. A aparente tentativa de recuperação do neste final de manhã é puxada pelo comportamento das ações PNA da Vale do Rio Doce, que sobem 3,62% e movimentam R$ 78 milhões. Operadores afirmam que algumas casas estrangeiras, como o Credit Suisse e o Merrill Lynch, fizeram uma observação em que recomendaram a compra das ações da mineradora, que estariam a preços bastante atrativos. Vale ON tem alta de 4% e Bradespar, de carona, sobe 3,51%. Também houve avaliação favorável em relação aos papéis da Petrobras, que movimentam hoje R$ 102 milhões, com alta de 1,65%. Hoje também é dia de recuperação para as ações do setor bancário, de peso para o Ibovespa. Itaú PN + 3,02%; Bradesco PN 2,10%; Unibanco Units + 2,38%. Entre as quedas, as ações ordinárias da Perdigão se destacam, em baixa de 2,88%, por conta de suspeitas de casos da gripe aviária no Canadá. Sadia PN cai 1,13%.

Agencia Estado,

21 de junho de 2006 | 12h34

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.