Bovespa sobe e tenta se reaproximar dos 70 mil pontos

Influência do vencimento dos contratos futuros do Ibovespa ficou para trás, mas uma nova disputa entre os investidores entra em cena, com o último vencimento de opções sobre ações de 2010, na segunda

Olívia Bulla, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 11h19

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, buscando se reaproximar da marca dos 70 mil pontos e fechar neste nível até o fim do ano. A influência do vencimento dos contratos futuros do índice Bovespa (Ibovespa) ficou para trás, mas uma nova disputa entre os investidores entra em cena, com o último vencimento de opções sobre ações de 2010, na próxima segunda-feira. A soma desse fator interno com o desempenho apático dos mercados no exterior pode limitar a alta da Bolsa. Às 11h40 (horário de Brasília), o Ibovespa avançava 0,50%, para 68.211 pontos.

No exterior, o foco está voltado para o encontro das autoridades europeias em Bruxelas, que buscam um consenso para a adoção de mecanismos de financiamento para países em dificuldades financeiras. A agenda de indicadores econômicos dos EUA também merece atenção. Ainda nesta manhã, serão divulgados os dados dos pedidos de auxílio-desemprego feitos no país na semana passada e do saldo em conta corrente no terceiro trimestre deste ano. Saem ainda as construções de moradias iniciadas em novembro, assim como as permissões para novas obras.

No Brasil, o vencimento de índice futuro e de opções sobre índice, ontem, praticamente encerrou o ano para os negócios, sendo que certa volatilidade ainda deve ocorrer até a próxima segunda-feira, devido ao vencimento de opções sobre ações. "Esses eventos provocam oscilações que fogem do parâmetro normal do mercado e os movimentos recentes na Bolsa foram manipulados por esses vencimentos", comenta o economista da Senso Corretora, Antônio César Amarante.

Segundo ele, os negócios locais ainda podem ter uma "trava", dependendo da ponta (de compra ou de venda) que estiver melhor no exercício das opções. Mas ele aposta que, passados esses eventos, o período morno em que entrará a Bolsa até o fim de 2010 permitirá o alcance do nível dos 70 mil pontos, de uma forma natural. "A expectativa ainda é de chegar a essa marca mesmo com menor liquidez nos negócios", conclui.

A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida.

No âmbito corporativo, destaque para o encerramento do processo de bookbuilding (recebimento de intenções de compra) da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações da Droga Raia. A operação deve movimentar até R$ 768,5 milhões, com o preço do papel fixado no teto do intervalo previsto, que varia de R$ 19 a R$ 24. A estreia das ações está prevista para segunda-feira, sob o código "RAIA3". Além disso, a Bolsa divulgou hoje a segunda prévia da carteira teórica do Ibovespa, válida para o período de janeiro a abril de 2011, que não trouxe novidades em relação à primeira prévia. Houve apenas a confirmação da entrada da ação ON da Hypermarcas e nenhum papel deixou o índice à vista nesta prévia.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesBovespaexterioropçõesfuturos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.