Bovespa sobe impulsionada por ações das empresas de commodities

Às 15h00, o principal índice da Bolsa paulista registrava valorização de 0,5%, aos 68.083 pontos

Beth Moreira, da Agência Estado,

22 de setembro de 2010 | 12h13

Após abrir o pregão em baixa nesta quarta-feira, o Ibovespa inverteu a direção, impulsionado pela valorização das empresas de commodities, que se beneficiam da alta desses insumos no mercado internacional e com fluxo maior de estrangeiros na aposta compradora. O destaque fica por conta do forte desempenho das ações da Vale. Outro peso pesado, a Petrobrás, opera em baixa.

Às 15h00, o principal índice da Bolsa paulista registrava valorização de 0,5%, aos 68.083 pontos, após alcançar a mínima de 67.346 pontos (-0,55%) e a máxima de 68.549 pontos (+1,23%). O giro financeiro era de R$ 4,5 bilhões, com previsão de R$ 8,81 bilhões para o fechamento. No mesmo momento, o Dow Jones operava em queda de 0,26%, enquanto o S&P 500 recuava 0,5%.

Apesar da Petrobrás continuar sendo um dos principais focos entre os investidores, foi a Vale que roubou a cena do pregão durante a manhã. Vale PNA sobe 1,59% e ON avança 2,20%, ambas entre as maiores altas do Ibovespa. Bradespar, importante acionista da mineradora avança 2,90%, também no grupo de maiores altas do índice.

As ações da Petrobrás abriram o pregão em queda, chegaram a inverter o sinal com a melhora do humor do mercado, mas logo voltaram a cair. Hoje é o último dia para os investidores do varejo solicitarem a reserva de novas ações que estão sendo ofertadas pela empresa. Há pouco, o papel preferencial recuava 1,37%, enquanto os ordinários caíam 1,14%.

Mais cedo os metais básicos operavam em alta, beneficiados pelo enfraquecimento do dólar, que foi pressionado depois que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) afirmou, ontem, estar preparado para fornecer mais estímulo monetário se isso for necessário para dar suporte à recuperação econômica dos EUA.

Além disso, hoje o JP Morgan reiterou a recomendação de "overweight" (acima da média do mercado) para a mineradora e definiu US$ 42 por American Depositary Receipt (ADR) como preço-alvo para os papéis ordinários da mineradora para dezembro de 2011 e de US$ 37 para os preferenciais. Para dezembro de 2010, a estimativa é de US$ 38 para os ordinários e de US$ 33,5 para os preferenciais.

O banco ressalta os fundamentos sólidos para o minério de ferro e que a Vale continua sendo negociada com desconto em relação aos seus pares. Enquanto a Vale é negociada a 6,2 vezes o Ebitda de 2010 e 5,1 vezes o de 2011, os indicadores para os pares da companhia são de 6,8 vezes e de 5,2 vezes, respectivamente.

 

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.