Bovespa sobe impulsionada por desemprego nos EUA

A criação de apenas 113 mil vagas de trabalho nos EUA em julho, bem abaixo da previsão de 150 mil feita por analistas ouvidos pela agência Dow Jones, reafirma o sentimento otimista que vinha ganhando força no mercado nas últimas 48 horas. A taxa de desemprego subiu para 4,8%, superando a expectativa de estabilidade em 4,6%. O Ibovespa futuro ampliou o sinal de alta logo após o dado, divulgado ás 9h30. O índice Ibovespa à vista confirmou a tendência e abriu em alta, operando na máxima de 1,61% às 10h14, a 38.056 pontos. Os números do mercado de trabalho nos EUA vem a confirmar o arrefecimento da atividade norte-americana. Com isso, está comprando com muito mais convicção a idéia de pausa no juros na reunião do comitê de mercado aberto do Fed (banco central americano) da próxima terça-feira. Os contratos de Fed funds reduziram para 15% a chance de o Fed elevar para 5,5% o juro, ante 42% ontem. A expectativa é de que as chamadas compras "botton fishing" (papéis que estão com preços muito convidativos) por parte de investidores estrangeiros continuem dando impulso à Bovespa. Agosto começou com uma entrada de R$ 21,060 milhões de capital externo e, segundo fontes, no dia 2, a entrada teria sido ainda maior, de cerca de R$ 125 milhões. O dado da produção industrial brasileira, que caiu 1,7% em junho ante maio, segundo divulgou hoje o IBGE, veio pior do que o esperado pelos analistas ouvidos pela AE, que variavam de -1,2% a +0,2%. Na comparação com junho de 2005, a produção registrou queda de 0,6%.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2006 | 10h13

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.