Bovespa sobe influenciada pelas ações da CSN e Cosan

As ações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) são destaques de alta e de giro financeiro na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Às 13h37, os papéis da empresa tinham alta de 4,65%, a R$ 67,98. A movimentação financeira era de R$ 177 milhões, após 2.781 negócios. O Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, subia 0,42%, aos 44.229 pontos. O mercado aprovou a perda da empresa na disputa pelo controle da anglo-holandesa Corus para a indiana Tata Steel. A oferta da indiana foi de US$ 11,3 bilhões superando os US$ 11,2 bilhões da brasileira. Um dos pontos mais questionados pelo mercado, após o primeiro lance da CSN, foi a dívida que seria contraída para liquidar a operação. Agora, após o resultado da oferta, com a vitória da indiana, a CSN ainda deve embolsar os recursos da vendas das ações que possui na anglo-holandesa. Em nota, a empresa observou que tem direito de vender 34.072.613 ações da Corus e que terá direito de receber da anglo-holandesa remuneração de incentivo correspondente a 1% do preço final revisado proposto para a aquisição. Outro destaque de alta do pregão eram os títulos da Cosan, com variação positiva de 6,76%, a R$ 39,50, após o anúncio da compra da Vale do Rosário. Mesmo com esse desempenho, a desvalorização acumulada no ano é de 12%. Os papéis acumularam fortes perdas dias antes de a companhia anunciar a compra da segunda colocada no ranking dos grupos sucroalcooleiros do País. A queda mais acentuada do índice era de Transmissão Paulista (2,65%), seguida de Eletropaulo (1,91%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.