Bovespa sobe mais de 1,5% impulsionada por estatais

Ações da Petrobrás têm alta maior que 3,5%; mercado financeiro atua na expectativa de divulgação de nova pesquisa eleitoral

ANA LUÍSA WESTPHALEN, Agência Estado

14 de julho de 2014 | 11h01

A Bovespa abre a semana em alta de mais de 1,0%, impulsionada pelas ações das estatais. O bom humor está relacionado à perspectiva de que o desempenho desastroso da seleção brasileira na Copa do Mundo se traduza em queda nas intenções de voto na presidente Dilma Rousseff. Para os próximos dias são aguardadas três pesquisas eleitorais, o que será um prato cheio para especulações envolvendo a corrida presidencial no mercado de Bolsa.

Às 12h10, o Ibovespa registrava ganho de 1,60%, aos 55.651,06 pontos.

Entre os destaques de alta do índice, Petrobrás ON e PN avançam 3,82% e 3,50%, respectivamente, enquanto Banco do Brasil ON tem valorização de 2,25% e Eletrobras PNB sobe 1,86%. A Vale também ajuda a ampliar os ganhos do Ibovespa, beneficiada pela recuperação dos preços do minério de ferro no mercado internacional. Os papéis ON e PNA da mineradora sobem 0,91% e 1,27%, nesta ordem.

Em Wall Street, as bolsas de Nova York sobem, dando sequência ao bom humor mostrado na sexta-feira e com investidores à espera da rodada de balanços trimestrais hoje, sendo a maioria de bancos.

Mais cedo, o Citigroup informou que seu lucro caiu para US$ 181 milhões no segundo trimestre deste ano, em boa parte por causa do acordo de US$ 7 bilhões para encerrar acusações de que vendeu hipotecas de baixa qualidade antes da crise financeira global. O resultado da instituição compara-se com o lucro de US$ 4,18 bilhões registrado no mesmo período do ano passado.

Na Europa, as principais praças acionárias seguem em alta. Os ganhos são mantidos mesmo após a queda de 1,1% na produção industrial da zona do euro em maio ante abril - maior recuo mensal desde setembro de 2012. O dado ficou perto da previsão de queda de 1,2%. Na Alemanha, país campeão da Copa do Mundo de 2014, a bolsa de Frankfurt tem destaque, em alta de 1,08%.

Banco Espírito Santo. Neste fim de semana, o Banco de Portugal exigiu uma reunião extraordinária do Conselho do Banco Espírito santo (BES) e a troca imediata da direção do banco. O novo comando da casa, que assumiria os cargos apenas no fim do mês, começou a trabalhar nesta segunda-feira. A medida foi considerada a nova etapa da intervenção informal que o governo português realiza na casa, com diminuição do poder da família Espírito Santo.

Os yields (retorno ao investidor) dos bônus do BES superaram 10% e as ações caíram para mínimas vistas pela última vez no auge da crise da zona do euro, segundo informações da edição online do jornal britânico Financial Times.

Segundo a publicação, o movimento se deve à afirmação do primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, de que os investidores privados teriam que arcar com os custos de qualquer resgate do banco português.

O yield dos bônus subordinados do BES com vencimento em 2023 saltou 1,44 ponto porcentual nesta manhã, para 10,39% - acima do yield do bônus equivalente do governo da Argentina, que já está em default técnico -, enquanto as ações caíram mais de 7%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.