Bovespa sobe na abertura com metais e petróleo

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que ontem completou três pregões seguidos de recuperação reduzindo para 0,67% a perda acumulada neste mês de janeiro, abriu em alta nesta véspera de feriado na cidade de São Paulo, que comemora amanhã 453 anos. Às 11h13, o principal índice da Bolsa paulista, o Ibovespa, subia 0,76%, aos 44.512 pontos. Apesar da expectativa com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que anuncia no início da noite a nova taxa básica de juro, a Selic, os negócios na Bovespa devem continuar refletindo o comportamento dos metais e do petróleo. Ontem, o ganho de 1,43% da Bolsa foi sustentado pelas ações de Vale do Rio Doce e Petrobras. O níquel e o estanho estabeleceram esta manhã novos recordes de alta em Londres, reagindo aos fundamentos do setor mais apertados e ao anúncio de queda nos estoques. As compras especulativas depois dos ganhos recentes e os negócios desencadeados pela incerteza na Indonésia também contribuem para a elevação desta quarta-feira. Os operadores não vêem limites para os preços no curto prazo. Já o petróleo, que na véspera fechou acima de US$ 55 o barril, está em baixa diante da expectativa de aumento dos estoques de petróleo bruto na última semana nos Estados Unidos. Às 11h13, o barril era negociado no sistema eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) a US$ 54,62, queda de 0,76%. As bolsas norte-americanas projetam uma abertura positiva, sustentadas pelo aumento expressivo das ações da Sun Microsystems e Yahoo!, que divulgaram ontem à noite balanços favoráveis. No Brasil, a Bovespa abriu também sob o impacto de duas aquisições, que podem ter efeito pontual nos negócios. O Bradesco anunciou a compra do BMC, banco especializado em crédito consignado. Já a Lojas Americanas divulgou a compra da BWU Comércio e Entretenimento S/A, que explora no Brasil a sub-franquia da marca Blockbuster, por R$ 186,2 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.