Bovespa sobe pelo 5º dia, mas sem atingir 55 mil pontos

Ainda impulsionado por Vale e Petrobrás, o Ibovespa ganhou 0,18% e encerrou aos 54.984 pontos

Claudia Violante, da Agência Estado,

24 de abril de 2013 | 18h01

Se pela manhã havia alguma dúvida sobre o rumo dos negócios, à tarde a Bovespa firmou-se em alta e com volatilidade reduzida. O Ibovespa operou boa parte da sessão na casa de 0,5% de elevação, sustentado, mais uma vez, pelas blue chips Vale e Petrobrás. O sinal positivo do exterior e o interesse, sobretudo do estrangeiro, no mercado doméstico justificaram o movimento de compras e os ganhos no pregão desta quarta-feira, 24. 

O Ibovespa terminou com avanço de 0,18%, aos 54.984,23 pontos, marcando o quinto dia de alta. Na mínima do dia, registrou 54.723 pontos (-0,30%) e, na máxima, 55.546 pontos (+1,21%). No mês, acumula perda de 2,42% e, no ano, de 9,79%. O giro financeiro totalizou R$ 7,889 bilhões. Os dados são preliminares.

Um profissional da mesa de renda variável informou que houve fluxo favorável de estrangeiros na ponta compradora, sobretudo em Petrobras, daí a alta mais firme das ações ON da estatal do petróleo.

Ele lembrou que as notícias recentes indicam um quadro positivo para a companhia, com sinais de que o governo está preocupado com a situação da Petrobrás. "Teve o aumento inesperado do diesel, ontem saíram medidas para o setor de etanol que favorecem a companhia, há o aumento de 20% para 25% da mistura de álcool na gasolina. O balanço também não deve desapontar", citou.

A estatal divulgará seu balanço na sexta-feira, 26, após o fechamento do mercado. Petrobrás ON fechou em alta de 2,61% e a PN subiu 1,41%.

Vale também avançou, 0,54% na ON e 0,72% na PNA. Nesta noite, a mineradora apresentará seus números do trimestre. A expectativa é de que apresente lucro líquido de US$ 2,74 bilhões, resultado que, se confirmado, representará queda de 28,4% em relação ao lucro de US$ 3,83 bilhões do primeiro trimestre do ano passado. No último trimestre de 2012, a mineradora teve prejuízo de US$ 2,65 bilhões.

OGX ON fechou em baixa de 1,95%, com a confirmação, pela assessoria de imprensa da Lukoil, de que a russa não tem interesse em adquirir participação na empresa brasileira.

No exterior, as Bolsas europeias tiveram altas firmes, sustentadas pela expectativa reforçada de que o Banco Central Europeu (BCE) adotará medidas de estímulo na semana que vem. Nos EUA, as bolsas fecharam perto do zero a zero, depois de um dia predominantemente no azul. O Dow Jones fechou em baixa de 0,29%, aos 14.676,30 pontos, o S&P ficou estável, aos 1.578,79 pontos, e o Nasdaq teve ligeira elevação, de 0,01%, aos 3.269,65 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.