Bovespa sobe pelo 6º dia seguido e acumula alta de 6,73% no período

Ibovespa fechou o dia com valorização de 1,29%, aos 47.993,42 pontos, maior nível desde 14 de fevereiro

Claudia Violante, da Agência Estado,

24 de março de 2014 | 18h01

A Bovespa contrariou a trajetória das bolsas internacionais nesta segunda-feira, 24, e engatou sua sexta alta consecutiva, período no qual acumulou valorização de 6,73%. Fluxo comprador estrangeiro, sobretudo em Petrobrás e bancos, sustentou o movimento, que empurrou o Ibovespa para bem perto dos 48 mil pontos.

O principal índice à vista fechou com alta de 1,29%, aos 47.993,42 pontos, maior patamar desde os 48.201,11 pontos de 14 de fevereiro. Na mínima do dia, registrou 47.382 pontos (estável) e, na máxima, 48.142 pontos (+1,61%). No mês, acumula alta de 1,91%, mas, no ano, ainda está negativa em 6,82%.

Petrobrás se destacou hoje, em sua quinta alta consecutiva, de 3,26% na ON e 2,71% na PN. Nesse período, acumulou ganhos de 15,97% e 14,55%, respectivamente. A alta, inicialmente, foi puxada por compras de estrangeiros nas ações ordinárias, mas, em seguida, houve um movimento de zeragem de posições vendidas que ajudou a impulsionar os papéis.

No setor financeiro, Bradesco PN subiu +2,80% e Itaú Unibanco PN, +2,90%. O Credit Suisse elevou sua recomendação para Bradesco de neutro para outperform e deu aos papéis status de top pick do setor. BB ON fechou em alta de 0,58% e Santander unit subiu 2,81%.

Vale teve um pregão muito volátil e, no final, a ON terminou em +0,49% e a PNA, em -0,15%.

O desempenho dos papéis foi influenciado pelos dados da China. O HSBC informou que o PMI industrial do país caiu a 48,1 em março, de 48,5 em fevereiro, para o menor nível em sete meses.

As bolsas europeias também encamparam a tendência de baixa, influenciadas ainda por dados fracos da zona do euro e dos EUA. Os PMIs da região econômica decepcionaram, entre eles o composto do bloco, que foi a 53,2 em março de 53,3 em fevereiro. Nos EUA, o PMI industrial caiu para 55,5 na leitura preliminar de março, de 57,1 da leitura final de fevereiro.

As bolsas norte-americanas seguiram a trajetória europeia e caíram. O Dow Jones terminou o dia em baixa de 0,16%, aos 16.276,69 pontos, o S&P recuou 0,49%, aos 1.857,44 pontos, e o Nasdaq perdeu 1,18%, aos 4.226,39 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.