Bovespa supera testes de bancos europeus e sobe

Ibovespa encerrou a sexta-feira na pontuação máxima do dia, com ganho de 0,87%, aos 66.322,99 pontos

Rosangela Dolis, da Agência Estado ,

23 de julho de 2010 | 17h31

As Bolsas norte-americanas e brasileira sobreviveram com folga aos resultados dos testes de estresse aplicados aos 91 maiores bancos europeus divulgados pelo Comitê Supervisor de Bancos da UE (CEBS, na sigla em inglês) no início da tarde. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e os índices acionários em Nova York encerraram hoje, e a semana, em terreno positivo em torno de 1%. O comitê informou que sete bancos falharam nos testes.

 

Logo após a divulgação dos resultados dos testes, os índices oscilaram entre os campos negativo e positivo, porém, perto da estabilidade, como reflexo das dúvidas suscitadas sobre o rigor da avaliação. Depois, os investidores norte-americanos consideraram que o resultado, superficialmente, foi positivo, e escoraram-se nos bons balanços corporativos divulgados, num movimento que segurou as bolsas em alta até o fechamento.

 

O Ibovespa encerrou a sexta-feira na pontuação máxima do dia, com ganho de 0,87%, aos 66.322,99 pontos (maior pontuação desde 4 de maio). Durante a sessão, atingiu a mínima de 65.427,34 pontos, em queda de 0,49%. Na semana, a Bolsa acumula alta de 6,39%; no mês, tem ganho de 8,84%; mas, no ano, apura perdas de 3,30%. Os dados são preliminares.

 

Ainda influenciadas pelas recentes declarações de autoridades chinesas de que o país não vai promover aperto monetário, as ações ligadas a commodities deram sustentação ao Ibovespa. Vale ON subiu 0,77%, para R$ 48,17, e Vale PNA evoluiu 0,81%, para R$ 42,21. Entre as siderúrgicas, CSN ON subiu 2,07%; Usiminas ON, +2,22%, e PNA, +1,43%;

Gerdau PN, +2,08%.

 

Papéis de empresas ligadas ao consumo continuaram se beneficiando do cenário econômico interno de redução do ritmo

de alta dos juros, queda da inflação e diminuição do desemprego. Lojas Americanas PN liderou as altas do índice com +4,65%, seguida por B2W Varejo ON, +3,83%. Gol PN subiu 2,51% e TAM PN, +2,09%. As ações de bancos

acompanharam de perto a variação do índice.

 

Petrobrás operou na contramão do Ibovespa. O papel PN caiu 0,68%(R$ 27,79). A ação ON da estatal cedeu 0,28%, para R$ 31,78.

 

Em Nova York, as bolsas, após as primeiras vacilações diante dos resultados dos testes de estresse, operaram em alta firme, impulsionadas por novos balanços corporativos positivos do segundo trimestre. Entre as empresas que divulgaram

lucros superiores aos previstos estavam a gigante de telecomunicações Verizon e a companhia de cartões de crédito

American Express. Ações da General Electric também foram destaque de alta, em reação ao anúncio da empresa de que elevou seu dividendo trimestral em 20% e vai retomar seu programa de recompra de ações este trimestre, após quase

dois anos.

 

O Dow Jones fechou em alta de 0,99%, aos 10.424,62, acumulando 3,23% na semana. O Nasdaq subiu 1,05%, para

2.269,47 pontos (máxima do dia), com ganho de 4,14% na semana. E o S&P evoluiu 0,82%, para 1.102,66 pontos, em alta

de 3,55% na semana. Os dados são preliminares.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsabovespaestresseValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.