Bovespa tem dia de ganhos

Às 12h11, o Ibovespa registrava alta de 0,57%, aos 61.804 pontos

Fátima Laranjeira, da Agência Estado ,

22 de junho de 2011 | 12h46

A Bovespa, que começou o dia em queda, surpreendeu e virou, se firmando no campo positivo nesta véspera de feriado prolongado. As ações da Petrobrás, Vale e das credenciadoras Cielo e Redecard operam em alta e as incorporadoras lideram as maiores perdas do Ibovespa.

Às 12h11, o Ibovespa registrava alta de 0,57%, aos 61.804 pontos, após ter alcançado a máxima de 61.835 pontos (+0,67%) e a mínima de pontos 61.226 (-0,32%). O giro era de R$ 1,6 bilhão, com projeção para alcançar R$ 5,5 bilhões no encerramento. Em Nova York, o índice Dow Jones operava estável (0,0%) e o S&P 500 avançava 0,10%.

"Apesar da alta, os volumes são baixos e se entrarem investidores com operações maiores, o índice pode virar a qualquer hora", avalia o gerente da mesa de investimentos pessoa física da Fator Corretora, Alfredo Sequeira. "É fogo de palha, como se diz", completa. "Há um alívio com a situação da Grécia, pelo menos até a próxima reunião na terça-feira e os dados divulgados hoje nos Estados Unidos também trouxeram um certo otimismo", afirma Luís Gustavo Pereira, da equipe de Análise da Um Investimentos.

Cielo opera com ganhos de 1,02% e Redecard com +1,45%, esta entre as maiores altas do Ibovespa. "Temos notado um aumento nos contratos de aluguel destas duas ações, motivado pela boa performance dos papéis", informa um operador, lembrando que são ações muito suscetíveis a qualquer notícia, em um setor pequeno, apenas com as duas empresas. "Eles tiveram uma curva bem diferente da Bolsa, mas muita gente aposta que esta distorção vai diminuir", completa. No ano, Cielo acumula alta de 19% e Redecard, +14%.

Petrobrás continua as altas de ontem. O papel PN subia 1,64% e o ON +1,55%, entre as maiores altas do Ibovespa. Os contratos futuros de petróleo operam em alta de 0,76% na Nymex Eletrônica, a US$ 94,88 o barril.

"É uma recuperação técnica", afirma Sequeira, da Fator Corretora, lembrando que as ações reagem à elevação do rating em moeda estrangeira da estatal de Baa1 para A3 feito ontem pela Moody's e às declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que a estatal deve cortar novos investimentos. "O mercado tem medo que a empresa seja obrigada a fazer uma nova oferta de ações, o que a empresa nega, mas precisa mostrar isso com a redução da expectativa de investimentos", diz.

Vale PNA opera também em alta de 0,80% e ON (+0,74%). "A Vale está forte, e se as commodities não subiram, também não estão influenciando negativamente", avalia Pereira, da Um Investimentos. Na London Metal Exchange (LME), os metais básicos operavam em direções divergentes pela manhã, com investidores em busca de orientação, uma vez que o voto de confiança no governo grego não convenceu os participantes dos mercados de metais e moedas de que a ameaça de contágio por uma crise de dívida na Grécia está eliminada.

Entre as siderúrgicas, Usiminas ON sobe 1,93%, liderando as altas do Ibovespa, se recuperando das quedas recentes; o papel perde 2,2% em junho. Usiminas PNA sobe 1,28%, Gerdau (+0,77%), CSN e Metalúrgica Gerdau operam com estabilidade (0%).

Já as ações da BRF - Brasil Foods operam em alta de 0,85%. Segundo um operador de uma grande corretora, o mercado achou positiva a reunião entre a empresa e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sobre a fusão Sadia-Perdigão, avaliando que o conselho não determinará a venda de grandes marcas da empresa. "A ação já praticamente precificou a questão e o mercado acredita que serão preservadas as principais marcas da empresa", ressalta.

Ainda entre as maiores altas do Ibovespa figuram Ultrapar PN (+1,72%), Braskem (+1,66%), a Unit do Santander (+1,55%) e Ambev (+1,37%).

Incorporadoras

As incorporadoras PDG (-2,90%), Rossi (-2,32%), Gafisa (-1,44%) e MRV (-1,40%) operam entre as maiores perdas do principal indicador da Bolsa. "A expectativa de alta de juros de mais 0,25% na próxima reunião do Copom e o temor de uma bolha no setor puxam a baixa do setor", lembra Sequeira, da Fator.

Além disso, alguma empresas do setor reduziram o guidance de lançamentos, afirma Pereira, da Um Investimentos.

Ainda entre as maiores quedas do Ibovespa figuram Brasil Telecom PN (-1,87%), Oi (Tmar) PNA (-1,80%), Telesp PN (-1,79%) e Oi (TNLP) PN (-1,50%).

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaValePetrobrásaçõesCielo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.