Bovespa tem maior queda porcentual desde 15 de abril, de 2,50%

Além do PIB brasileiro, pressionaram a bolsa as revisões de crescimento da economia global pela OCDE e FMI

Claudia Violante, da Agência Estado,

29 de maio de 2013 | 18h00

A Bovespa acompanhou o sinal negativo das bolsas internacionais e foi além: caiu mais de 2% pressionada ainda pelo débil PIB brasileiro no primeiro trimestre deste ano. As vendas foram disseminadas pelo Ibovespa e apenas sete ações fecharam em alta.

O Ibovespa terminou o dia com queda de 2,50%, a maior desde 15 de abril, quando recuou 3,66%. Encerrou na mínima pontuação do dia, de 54.634,69 pontos. Na máxima, atingiu 56.032 pontos. No mês, acumula perda de 2,28% e, no ano, de 10,36%. O giro financeiro totalizou R$ 7,470 bilhões. Os dados são preliminares.

"Hoje o mercado reagiu a uma combinação de fatores. Claro que o cenário externo pesou, mas podemos dizer que o PIB teve papel fundamental para o tombo do índice", comentou o analista da Empiricus Research/Investmania, Roberto Altenhofen. A economia brasileira avançou apenas 0,6% ante o quarto trimestre do ano passado e 1,9% ante o mesmo período de 2013, bem abaixo da mediana das projeções, de 0,9% e 2,3%, respectivamente.

Além do PIB brasileiro, pressionaram a bolsa as revisões para baixo das projeções de crescimento da economia global, pela OCDE e FMI. Entre os países afetados estão a China, justamente o principal comprador de matérias-primas global, o que prejudica a bolsa de commodities brasileira.

Vale ON fechou em baixa de 0,80% e a PNA, de 1,31%. Petrobras ON caiu 1% e PN, 1,10%. OGX teve retração acentuada, de 9,64%, a maior do índice.

Na Nymex, o contrato do petróleo para julho perdeu 1,98% de seu valor, a US$ 93,13, o menor nível desde 1º de maio. O temor de recuo da demanda global pesou sobre os negócios após a revisão dos PIBs divulgada pela OCDE. Há ainda a expectativa de que o Federal Reserve comece a reduzir suas medidas de estímulo em breve, após indicadores positivos sobre a economia norte-americana.

Nos EUA, o Dow Jones terminou em baixa de 0,69%, aos 15.302,80 pontos, o S&P recuou 0,70%, aos 1.648,36 pontos, e o Nasdaq fechou com desvalorização de 0,61%, aos 3.467,52 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.