Bovespa tem manhã volátil sem tendência definida

 Após oscilar entre terrenos negativo e positivo, Ibovespa recuava 0,13% às 12h30

Sueli Campo, da Agência Estado,

24 de maio de 2010 | 10h20

O alívio de sexta-feira nas bolsas hoje dá lugar, novamente, à cautela, mas sem o mesmo grau de tensão das última semanas. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu a sessão em baixa, em uma semana carregada de indicadores nos Estados Unidos. Após operar em alguns momentos no terreno positivo, a Bolsa voltou a cair. Às 12h30, a queda era de 0,13%, aos 60.165 pontos.

A notícia que levou o mercado a devolver parte dos ganhos de sexta-feira, quando o Ibovespa subiu 3,55%, é a de que o governo espanhol socorreu o banco CajaSur no fim de semana. Embora represente apenas 0,6% dos ativos do sistema financeiro espanhol, a intervenção no pequeno banco de poupança deixa em evidência negativa o setor bancário na zona do euro.

Do lado positivo, analistas citam notícias sobre os planos de arrocho fiscal em mais países da zona do euro. A Alemanha pretende lançar um plano de austeridade fiscal em 2011. Segundo o jornal Financial Times, os cortes devem atingir 10 bilhões de euros (US$ 13 bilhões) até 2016. O anúncio do Reino Unido de proposta de corte de mais de 6 bilhões de libras no orçamento também está sendo bem visto.

Para a Bovespa, o contraponto positivo do dia é a possibilidade de a China adiar a adoção de novas medidas restritivas, enquanto analisa o impacto das determinações anteriores e da crise na Europa. A expectativa de que não haverá aperto monetário fez várias bolsas asiáticas fecharem em alta. Hoje, a Bolsa de Xangai subiu quase 3,5%.

(Texto atualizado às 12h30)

Tudo o que sabemos sobre:
açõesBovespaabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.