Bovespa tem novo recorde histórico, após alta de 1,69%

A Bovespa fechou a quarta-feira em nova máxima histórica, a 19ª apenas neste ano. Desta vez, o índice da Bolsa paulista encerrou acima da barreira psicológica dos 40 mil pontos, a 40.410 pontos. O último recorde havia sido registrado na quarta-feira passada, quando o índice fechou em 39.937 pontos. O nível de hoje foi alcançado com alta de 1,69%, em um dia com volume de negócios de R$ 2,93 bilhões. A Bovespa oscilou entre a máxima de 40.422 pontos e a mínima de 39.738 pontos. Depois de dois pregões praticamente parada, operando muito próxima da estabilidade, a Bolsa voltou a ganhar velocidade, puxada por uma combinação de boas notícias externas e internas. Do lado doméstico, os investidores foram surpreendidos pelo resultado do superávit primário muito melhor do que o esperado. As contas do setor público estão com superávit acumulado em 12 meses em relação ao PIB em 4,39%, acima da meta de 4,25%. Havia o receio de que a meta não fosse cumprida. Outro dado divulgado hoje também agradou: o IPCA-15 de abril fechou o mês em 0,17%, abaixo do piso das estimativas dos analistas. Lá fora, as Bolsas de Nova York encerraram com ganho, apesar da alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA. A Bovespa chegou a perder fôlego por volta das 15 horas, com a divulgação do Livro Bege, documento do banco central dos EUA, que apontou que a economia norte-americana continua aquecida. Mas, a exemplo do que aconteceu com as bolsas em Nova York, o mercado de ações brasileiro manteve o clima positivo.

Agencia Estado,

26 Abril 2006 | 17h51

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.