Bovespa tem quarta queda seguida e recua 3,27% na semana

Bolsa abriu em queda e virou em seguida, mas alta durou até apenas a divulgação do relatório de emprego americano

Claudia Violante, Agência Estado

08 de novembro de 2013 | 18h01

SÃO PAULO - A Bovespa terminou a quarta sessão consecutiva no vermelho e num pregão que repetiu o comportamento dos anteriores: manhã turbulenta e tarde bem mais amena. O relatório do mercado de trabalho americano elevou as apostas de início da retirada dos estímulos à economia dos EUA e pressionou a queda da Bovespa. As vendas foram lideradas pelos investidores estrangeiros, que também se fiaram na disparada do dólar e dos juros para se desfazer das ações domésticas.

Nesta sexta-feira, 08, o Ibovespa fechou em baixa de 0,93%, aos 52.248,86 pontos. Na mínima, registrou 51.735 pontos (-1,91%) e, na máxima, 52.868 pontos (+0,24%). Na semana, perdeu 3,27%, no mês, acumula baixa de 3,70% e, no ano, de 14,28%. O giro financeiro totalizou R$ 9,153 bilhões.

A Bolsa abriu em queda, virou em seguida, mas a alta durou até apenas a divulgação do forte payroll norte-americano. Os EUA criaram, em outubro - mês marcado pela paralisação do governo por 16 dias em razão de impasse no Congresso sobre o Orçamento - 204 mil vagas, quase o dobro das 120 mil previstas pelos economistas. Além disso, dados anteriores foram revisados em alta.

As bolsas americanas operavam com força perto do fechamento da Bovespa, com ganho de 0,63% no Dow Jones, de 0,97% no S&P e de 1,44% no Nasdaq.

Na Bovespa, investidores estrangeiros seguiram firme na venda e usaram as blue chips como saída. Petrobrás ON caiu 2,09%, e PN, 1,80%, Vale ON, 1,29%, e Vale PNA, 1,38%. A pressão do dólar e dos DIs também prejudicou o desempenho da Bolsa doméstica.

O setor siderúrgico, no entanto, se destacou pelos ganhos. CSN ON, +2,48%, Usiminas PNA (a segunda maior alta do índice), +3,11%, Usiminas ON, +2,05%. Gerdau PN, +0,83%, e Metalúrgica Gerdau PN, +0,35%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.