Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bovespa tenta se firmar em campo positivo

Às 12h22, o principal índice da Bolsa operava em alta de 0,43%, aos 59.333 pontos

Beth Moreira, da Agência Estado,

20 de julho de 2011 | 12h32

Após uma abertura mais positiva, a Bovespa perdeu força no meio da manhã, mas ainda opera em alta. Em dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), o índice é puxado pela valorização das ações de bancos e algumas empresas de varejo. Em contrapartida, os papeis de Vale e Petrobrás operam em baixa, o que pressiona o principal índice da Bolsa paulista.

Às 12h22, o principal índice da Bolsa operava em alta de 0,43%, aos 59.333 pontos, após ter registrado a mínima de 59.045 pontos (-0,06%) e a máxima de 59.552 (+0,79%). O giro financeiro somava R$ 1,88 bilhão, com previsão de que o volume alcance R$ 5,83 bilhões no fechamento. Em Nova York, o Dow Jones recuava 0,14% e o S&P 500 perdia 0,06.

Segundo operadores, a desaceleração da inflação, apontada hoje pelo IPCA-15, parece ter animado investidores. "A expectativa é de que a alta de 0,25 ponto porcentual esperada para a reunião do Copom hoje possa ser a última, o que ajuda a afastar temores de novas medidas macroprudenciais", afirma um profissional.

A média das projeções de mercado é de que a taxa básica de juros, a Selic, será aumentada em 0,25 ponto porcentual, para 12,50% ao ano, hoje pelo Copom, segundo levantamento realizado pelo AE Projeções com 74 instituições do mercado financeiro, das quais apenas uma, a Fundação dos Economiários Federais (Funcef), trabalha com estabilidade.

Há pouco, Bradesco liderava a lista de maiores altas do Ibovespa, com valorização de 1,82%, seguido por Banco do Brasil (+1,72%). No setor também sobem Itaú Unibanco (+1,21%) e Santander (+0,79%). Operadores lembram ainda que o setor caiu muito no ano e passa agora por um ajuste.

Lojas Renner sobe 1,50% e também figura entre as maiores altas do Ibovespa. Entre as empresas de varejo também sobem Lojas Hering (+3,65%), Lojas Americanas (+0,83%) e Pão de Açúcar (+0,22%). Outro setor que se recupera é o de construção com Gafisa (+1,18%), entre as principais altas do Ibovespa. No setor também sobem Cyrela (+0,83%), Brookfield (+0,46%) e Rossi (+0,26%).

Entre as altas do dia destaque ainda para Embraer (+1,73%), beneficiada pela assinatura de um memorando que prevê a venda de 20 jatos para uma empresa aérea chinesa.

Vale e Petrobrás

As ações da Vale operam em queda nesta quarta-feira, impedindo uma recuperação maior do índice. Há pouco, o papel PNA cedia 0,46% e ON recuava 0,28%. As siderúrgicas operam com sinais divergentes: CSN (+0,29%), Gerdau (+0,42%), Gerdau Metalúrgica (-0,38%), Usiminas PNA (-0,52%) e Usiminas ON (-0,63%).

Petrobrás PN operava estável (0%) e Petrobrás ON registrava alta de 0,12%. Hoje o preço do petróleo sobe na Nymex eletrônica, cotado acima dos US$ 98,40 o barril.

A lista de maiores quedas do Ibovespa era liderada por LLX, com recuo de 2,14%, seguida por TAM, em baixa de 2,02%. Também aparecem no grupo ALL (-1,63%), B2W (-1,26%), Eletrobras ON (-1,05%), JBS (-0,97%), Eletrobras PNB (-0,84%) e Light (-0,82%).

Mundial

Entre os papéis de terceira linha o destaque hoje fica por conta de Mundial, que recua pela primeira vez em meses. Há pouco, os papéis PN e ON estavam em leilão, após acumularem queda de mais de 20% durante a manhã, o que garantiu lugar às ações no grupo de principais quedas do mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaBovespaValePetrobrásCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.