Bovespa tenta se manter em alta no último dia do mês

Às 12h14, o Ibovespa registrava alta de 0,35%, aos 65.903 pontos

Beth Lopes, da Agência Estado ,

29 de abril de 2011 | 12h40

A Bovespa opera em leve alta nesta sexta-feira, último pregão do mês, com investidores tentando reduzir as perdas do mês, que chegam perto de 4% em abril. O sinal positivo do exterior ajuda na retomada na bolsa local. Redecard e Cielo puxam as altas, enquanto as ações do grupo Oi são destaque entre as quedas.

Às 12h14, o Ibovespa registrava alta de 0,35%, aos 65.903 pontos, após atingir a máxima de 66.037 pontos (0,55%) e a mínima de 65.461 pontos (-0,32%). O giro financeiro era de R$ 1,70 bilhão, projetando R$ 5,57 bilhões para o final do pregão. Em Nova York, o Dow Jones operava com ganhos de 0,38%, enquanto o S&P subia 0,07%.

Redecard sobe 3,26% e Cielo avança 2,31%, dando continuidade ao movimento de alta da véspera, ambas entre as maiores altas do Ibovespa. Segundo operadores, a perspectiva de melhora no segundo semestre, apontada no balanço da Redecard pode estar impulsionando os negócios com o papel das credenciadoras.

Algumas empresas de varejo também são destaque de alta, como Lojas Americanas, em elevação de 4,56%, capitaneando as principais valorizações do Ibovespa. Deutsche lidera as compras do papel, seguida por Santander.

Lojas Renner, que divulgou balanço na noite de ontem, avança 1,65%. A empresa registrou lucro líquido consolidado de R$ 47,6 milhões no primeiro trimestre do ano, mostrando evolução de 29% sobre o mesmo período do ano passado. O resultado ficou em linha com a projeção de sete instituições financeiras consultadas pela Agência Estado (Barclays Capital, Bradesco, Deutsche Bank, Fator, HSBC, Raymond James e Votorantim Corretora), de R$ 48,5 milhões.

Em entrevista à Agência Estado, o diretor administrativo e financeiro e de Relações com Investidores da Lojas Renner, Adalberto dos Santos, afirmou que o cenário econômico favorável para o consumo deverá se manter ao longo deste ano.

O setor de construção se recupera da queda dos últimos dias, beneficiado também pela expectativa de divulgação de balanço das empresas do segmento. Brookfield sobe 2,85%, entre as maiores altas do Ibovespa. Também avançam Cyrela (+1,47%), Even (+1,55%), Rossi (+1,44%), EZTec (+1,22%), Gafisa (+0,95%), MRV (+0,96%) e PDG (+0,43%).

A exceção fica por conta de BrMalls, que recua 0,06% após a empresa ter informado que fará uma oferta pública primária de ações. A companhia também divulga hoje seus resultados do primeiro trimestre de 2011. A companhia realizará oferta pública primária de 34 milhões de ações ordinárias, com esforço de colocação no exterior. Conforme aviso ao mercado publicado hoje, a quantidade total de ações poderá ser acrescida em até 15% em lote suplementar, ou seja 5,1 milhões de ações, e até 20% em lote adicional, mais 6,8 milhões de papéis. Caso esses lotes sejam exercidos integralmente, a oferta pode alcançar até R$ 784,89 milhões, ao preço do fechamento do papel ontem (R$ 17,10).

Oi

As ações do grupo Oi são destaque entre as baixas, com a TNLP ON recuando 0,97%, TNLP PN cedendo 2,74%; Tmar PNA com perdas de 1,25%, e a controlada Brasil Telecom PN caindo 2,51%, sendo as três últimas entre as principais baixas do Ibovespa. "O balanço veio pior que o esperado", avalia o operador de renda variável da HCommCor, Rafael Dornaus. Ele lembra que vários bancos divulgaram relatórios negativos sobre o balanço.

O Grupo Oi registrou no primeiro trimestre de 2011 prejuízo líquido consolidado de R$ 395 milhões, ante lucro de R$ 518 milhões no mesmo período de 2010. Os dados reúnem as operações de Tele Norte Leste Participações (TNLP) e suas controladas Telemar Norte Leste (TMAR) e Brasil Telecom (BrT), no padrão internacional de contabilidade (IFRS).

Também figuram entre as maiores baixas Telesp PN (-2%), Vivo PN (-1,86%), Ultrapar PN (-1,67%), Brasil Ecodiesel (-1,22%) e Marfrig (-1,11%).

Vale e Petrobrás

Vale PNA recua 0,04% e ON cede 0,23%, apesar do mercado ter gostado da notícia de que a empresa comprou participação na hidrelétrica de Belo Monte. "A mineradora conseguirá elevar o fornecimento próprio de energia com um risco pequeno", avalia um operador. Com a entrada em Belo Monte anunciada hoje, a Vale irá elevar dos atuais 45% para 63% a geração de energia da mineradora para consumo próprio.

Petrobrás opera volátil, apesar de notícias positivas, como a nova descoberta no pré-sal: PN sobe 0,16% e ON cede 0,45%. A estatal anunciou ontem a descoberta de uma nova acumulação de óleo no pré-sal da Bacia de Campos, através do poço 6-AB-119D-RJS perfurado no campo de Albacora, a 107 km da costa e 3,2 km da plataforma de produção P-31. Segundo nota da estatal, estimativas preliminares de volume indicam potencial de volume economicamente recuperável da ordem de 350 milhões de barris de óleo de boa qualidade (leve).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.