Bovespa terá ganho de 9,4% até o fim do ano, prevê Citigroup

O Citigroup elevou, de 40 mil pontos para 42 mil pontos, a previsão para o final do ano para o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo. Na segunda-feira, o índice fechou em 36.557 pontos. A nova projeção do banco, portanto, prevê valorização de 9,41% no índice até o fim de 2006. Além disso, o Citigroup elevou a recomendação para as ações de companhias brasileiras de telecomunicações para "neutra", em relatório divulgado na sexta-feira. Com a alteração das recomendações, a Telesp fixa (Telefónica) passou a fazer parte da lista foco do banco, enquanto a OHL, subsidiária brasileira da espanhola Obrascon Huarte Lain, saiu da lista. "Mantemos nossa preferência por ações domésticas nos mercados do Brasil e do México", afirma o banco. Para os mercados emergentes como um todo, o banco diz esperar que o ciclo de alta de juros nos EUA fique no "pico de 5,25%" (patamar atual), com crescimento de cerca de 3% nos próximos quatro trimestres. Na semana passada, o banco central americano promoveu uma pausa no ciclo de alta dos juros, que já durava dois anos. Taxas maiores nos EUA costumam reduzir a liquidez nas economias em desenvolvimento - os investidores tendem a procurar ativos de menor risco aparente -, por isso qualquer pausa no processo de aperto monetário nos EUA é, em geral, boa para os emergentes. "Acreditamos que a combinação de eventos é positiva para os mercados de ações da América Latina", segundo o relatório, embora o Citigroup alerte que as ações da região podem continuar voláteis no curto prazo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.