Bovespa termina com perda de 0,92%, em linha com NY

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, operou em alta durante a manhã, mas perdeu força no início da tarde, acompanhando a virada de sinal no mercado acionário de Nova York, e encerrou em baixa de 0,92%, com 37.255 pontos. O índice oscilou entre a mínima de -1,12% e a máxima de +1,29%. Operadores comentaram que a bolsa paulista se ressente da falta de dinheiro novo. "A bolsa não consegue se sustentar por muito tempo sem ingresso de capital", comentou um operador. "E, com a virada em Nova York, o mercado aqui desandou", completou. A Bolsa trabalhou em alta durante toda a manhã, mas sem euforia, alinhada ao mercado norte-americano. Os investidores tentaram fazer hoje uma leitura mais favorável da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de ontem, que manteve a taxa de juro estável em 5,25% e decidiu interromper o ciclo de aperto monetário, mas deixou em aberto a possibilidade de voltar a subir a taxa de juro. Na parte da tarde, contudo, os ganhos não se sustentaram e o índice Dow Jones, de Nova York, inverteu o sinal, influenciando a Bovespa. Antes do fechamento, os outros dois principais índices nova-iorquinos, Nasdaq e S&P-500, também cederam e fecharam em queda. O que poderia deixar o mercado de ações um pouco mais seguro neste momento seria a volta do capital externo à Bolsa. Hoje, a liquidez melhorou em relação à véspera, e o volume financeiro ficou em R$ 2,44 bilhões. Mas ainda é cedo para dizer se esse volume mais encorpado de negócios pode ser sinal de que os investidores estão mais dispostos a assumir riscos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.