Bovespa termina o dia em forte queda, de 2,64%

A Bovespa seguiu novamente a volatilidade do cenário externo hoje, sofrendo um pouco mais do que as bolsas norte-americanas por conta também da queda das commodities metálicas. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, registrou perda de 2,64% e fechou aos 42.370 pontos. No ano, a Bolsa acumula queda de 4,73%. A continuação do cenário de incertezas é uma promessa para os próximos dias. A correção da exuberância anterior nos mercados globais continua forte, ao lado das preocupações com a economia norte-americana, que está perdendo força, e com a China, que na terça-feira deflagrou uma turbulência nos mercados ao redor do mundo. As perdas nas Bolsas de Nova York não foram pequenas: o índice Dow Jones caiu 0,98%, o Nasdaq recuou 1,51% e o S&P 500 cedeu 1,14%. Além da influência norte-americana, a Bovespa sentiu o peso da queda dos metais básicos. O zinco, por exemplo, despencou quase 10%. Pressionada pelo cenário externo e pela desvalorização dos metais, a ação Vale do Rio Doce PNA caiu 3,11%, para R$ 59,20. Petrobras PN, a ação de maior peso no Ibovespa, recuou 3,05%, para R$ 41,06. O petróleo cedeu 0,58% em Nova York, para US$ 61,64 por barril. O Ibovespa oscilou entre a estabilidade e a mínima de -2,80%. O volume negociado totalizou R$ 4,47 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.