Brasil tem quatro dos maiores bancos da América

Quatro bancos brasileiros aparecem na lista das 20 maiores instituições financeiras da América Latina e Estados Unidos por valor de mercado em dólares. O mais bem colocado é o Bradesco, que valia na segunda-feira US$ 31,46 bilhões, segundo levantamento da Economática com bancos de capital aberto. No ranking geral, a instituição ficou com o 8º lugar, abaixo de Citigroup, Bank of America, JP Morgan, Wells Fargo, Wachovia, Bancorp e Washington Mutual, todos dos EUA. O Itaú aparece logo abaixo do Bradesco, em 10º lugar, com preço de US$ 27,16 bilhões. Na 18ª posição ficou o Banco do Brasil (US$ 18,86 bilhões) e, na 20ª, o Unibanco (US$ 15,04 bilhões), que teve o melhor desempenho no ano. O valor de mercado do banco subiu 60,16% desde 31 de dezembro de 2005, quando valia US$ 9,39 bilhões, ressalta o coordenador para América Latina da Economática, Einar Rivero. Ele explica que o valor é calculado com base no preço das ações ordinárias e preferenciais das instituições. O Banco do Brasil melhorou o preço no mercado em 30,89%; Bradesco, 13,74%, e Itaú, 12,40%. Além do dólar mais fraco, o fator que mais contribuiu para o aumento do valor de mercado foram os lucros recordes dos bancos em 2005 e no primeiro trimestre deste ano, diz o analista do Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (Inepad) Edson Carminatti. Juntos, os quatro bancos somaram R$ 5 bilhões de lucro só no primeiro trimestre deste ano. Boa parte deste resultado é decorrente da maior demanda por crédito, especialmente pelo consumidor pessoa física. No Bradesco, por exemplo, o crescimento desses financiamento foi de 50,6% e no Itaú, de 48,4%. Carminatti diz que os bancos acabam ganhando muito dinheiro com essa operação, pois captam no exterior a um custo menor e emprestam com juros maiores. Os lucros acima da expectativa atraem os investidores, que podem ganhar muito dinheiro aplicando em papéis das instituições. Com a elevada liquidez do mercado externo, a procura pelos papéis dos bancos sobe e eleva a valorização das ações. Isso aumenta o valor das instituições no mercado. Outro dado bastante positivo é a rentabilidade sobre o patrimônio dos bancos brasileiros, bem maior que a dos demais. O campeão entre os 20 maiores dos EUA e América Latina é o Itaú, com rentabilidade de 35,7%. Em segundo lugar ficou o Banco do Brasil (32,4%), seguido por Bradesco (31,6%). No caso dos bancos americanos, o maior retorno foi verificado no Bancorp (23,2%) e no Citigroup (22%). A rentabilidade do Unibanco foi de 21,9% no primeiro trimestre deste ano, segundo o levantamento da Economática. O trabalho também apresenta o ranking dos bancos brasileiros e americanos por total de ativos. Neste caso, o Banco do Brasil é o que aparece mais bem colocado, na 11ª posição, com US$ 121,817 bilhões de ativos. O Bradesco ficou em 16.º lugar (US$ 99,609 bilhões) e o Itaú, em 20º (US$ 75,126 bilhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.