Braskem capta US$ 350 milhões em bônus com vencimento em 2020

A demanda pelos bônus ficou em cerca de US$ 1,5 bilhão, segundo a fonte

Regina Cardeal, da Agência Estado,

21 de julho de 2010 | 17h45

A companhia petroquímica Braskem SA captou US$ 350 milhões com a reabertura de seus bônus com vencimento em 2020, oferecendo aos investidores um yield (taxa de retorno) de 6,875%, segundo pessoa próxima à transação. A taxa de retorno ficou abaixo da referência inicial de 7% e os bônus foram precificados a 100,865% do valor de face. A demanda pelos bônus ficou em cerca de US$ 1,5 bilhão, segundo a fonte.

 

HSBC, BB Securities, Banco Bradesco e Banco Santander coordenaram a venda, que se soma aos bônus emitidos pela companhia em abril, quando teve de oferecer rendimento de 7% aos investidores. Na ocasião, a companhia optou por reduzir o volume da oferta, vendendo US$ 400 milhões em bônus de dez anos ante a expectativa inicial de venda de US$ 750 milhões. A decisão evitou que a Braskem pagasse um yield extra num momento em que os participantes do mercado estavam particularmente nervosos por causa da crise da dívida na Europa.

 

A Moody´s e a Fitch atribuíram aos bônus, respectivamente, rating Ba1 e BB+, ambos um grau abaixo de investment grade. Os papéis foram emitidos pela Braskem Finance Ltd e são garantidos pela Braskem SA. Em comunicado, a Moody´s afirma que a emissão é parte da gestão de passivos da Braskem para melhorar o perfil de vencimento da dívida. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Braskembônus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.