Caçadores de ofertas alavancam bolsas asiáticas

Mercados se recuperaram após quatro pregões de pressão por causa da Líbia 

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2011 | 07h34

Os mercados da Ásia se recuperaram nesta sexta-feira, após quatro pregões de pressão por conta do efeito Líbia. A presença de investidores em busca de ofertas de ocasião norteou as bolsas da região.

Após três dias de queda, a Bolsa de Tóquio voltou a registrar ganhos com a retração dos preços do petróleo fornecendo um alívio temporário das tensões no Oriente Médio e no norte da África. Toyota e Honda lideraram as ganhadoras depois que corretoras melhoraram a recomendação das ações de ambas as empresas. O índice Nikkei 225 subiu 74,05 pontos, ou 0,7%, e fechou aos 10.526,76 pontos.

A Bolsa de Hong Kong interrompeu quatro pregões seguidos de baixa. O índice Hang Seng subiu 411,33 pontos, ou 1,82%, e encerrou aos 23.012,37 pontos - na semana, contudo, o índice acumulou queda de 2,5%.

Já as Bolsas da China fecharam estáveis, após duas sessões de elevação. O enfraquecimento nas ações das mineradoras de ouro ofuscou os ganhos em papéis do setor bancário. O índice Xangai Composto terminou estável e fechou aos 2.878,56 pontos - na semana, porém, o índice teve perda de 0,7%. Já o índice Shenzhen Composto subiu 0,1% e encerrou aos 1.280,30 pontos.

O yuan valorizou em relação ao dólar, após queda na taxa de paridade central dólar-yuan (6,5795 yuans para 6,5757 yuans). No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,5750 yuans, de 6,5787 yuans do fechamento de quinta-feira.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o dia em alta, provocada por fortes ganhos em ações de pesos pesados do setor de tecnologia. O índice Taiwan Weighted subiu 0,68% e fechou aos 8.599,65 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul avançou 0,7% e fechou aos 1.963,43 pontos, apoiado na procura por ofertas de ocasião, com as ações das construtoras e das companhias aéreas em forte recuperação depois de recentes baixas.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, pôs fim a cinco dias seguidos de baixa graças à retração nos preços do petróleo no mercado futuro. O índice S&P/ASX 200 teve alta de 0,6% e encerrou aos 4.836,5 pontos.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila fechou em leve alta, encerrando cinco sessões consecutivas de perdas. O índice PSE subiu 0,17% e fechou aos 3.737,04 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em alta, após quatro sessões seguidas de perdas, seguindo os ganhos nos demais mercados regionais, ajudado pela baixa nos preços do petróleo, que têm reagido ao desenvolvimento das tensões no Oriente Médio. O índice Straits Times ganhou 1,8% e fechou aos 3.025,16 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 0,1% e fechou aos 3.443,53 pontos, com compras em companhias relacionadas ao carvão e de bancos mantendo o índice no terreno positivo.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, avançou 0,9% e fechou aos 985,91 pontos, tendo se recuperado após forte baixa na quinta-feira, mas as turbulências em andamento no Oriente Médio e norte da África contiveram a alta.

O índice composto da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia terminou estável e fechou aos 1.489,27 pontos, uma vez que os investidores partiram para as vendas à tarde ante o fim de semana em meio a preocupações sobre as repercussões das contínuas tensões políticas no Oriente Médio e norte da África. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.