Cade aprova aumento para 5% da fatia acionária da BM&FBovespa na CME

União das bolsas brasileira e norte-americana está tão longe de apresentar impacto no mercado sob o ponto de vista da concorrência, na avaliação do Conselho

Célia Froufe, da Agência Estado,

18 de agosto de 2010 | 14h52

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou hoje o aumento da participação no capital acionário da bolsa de mercadoria e futuros de Chicago, a CME, pela BM&FBovespa de 1,8% para 5%. Com o aumento da parceria entre as bolsas, a brasileira também terá direito a indicar um membro para o conselho da CME.

 

A união das bolsas brasileira e norte-americana está tão longe de apresentar impacto no mercado sob o ponto de vista da concorrência, na avaliação do Conselho, uma vez que o processo foi levado à votação em bloco pelo plenário do Cade, com mais 15 outros casos. Quando isso ocorre, o parecer do relator é acompanhado unanimemente pelos demais conselheiros sem que haja discussão aberta sobre o tema. "Não há nada demais neste caso. Nem integração vertical, nem horizontal", justificou à Agência Estado o relator do processo, conselheiro Carlos Ragazzo.

Tudo o que sabemos sobre:
CadeBM&FBovespaCME

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.