Caixa Econômica Federal abre escritório no Japão

Após quatro meses, a Caixa Econômica Federal (CEF) obteve do Ministério da Justiça do Japão o sinal verde para instalar um escritório de representação na cidade de Hamamatsu. "É o local do Japão onde há a maior concentração de brasileiros emigrados", disse ao Estado o superintendente internacional da Caixa, Flávio Peró. Estima-se que 20 mil dos 300 mil brasileiros residentes em solo japonês morem na cidade onde a Caixa terá sua primeira representação fora do Brasil. "Será um marco na história de 146 anos da Caixa", afirmou Peró.A inauguração do escritório ocorrerá às 9 horas (horário de Brasília) da próxima quinta-feira. "Faremos um evento simultâneo aqui (em Brasília) e em Hamamatsu", contou Peró. Em Brasília, estarão presentes a presidente da CEF, Maria Fernanda Coelho, e o embaixador do Japão, Ken Shimanouchi. Além disso, espera-se a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega. No escritório em Hamamatsu, estarão o prefeito da cidade, Yasuyuki Kitawaki, o presidente do Iwata Shinkin Bank (com que a Caixa tem parceria), Shouzu Takagi, e o representante do embaixador brasileiro no Japão, André Mattoso Maia.Sem poder receber depósitos, o escritório da Caixa terá como principal objetivo alavancar os negócios feitos entre o Brasil e o Japão. A Caixa, entretanto, não esconde o desejo de, no futuro, conseguir abrir uma agência no Japão. "O primeiro passo para se entrar num país é a abertura de um escritório de representação", disse o superintendente. Em território japonês desde 1972, o Banco do Brasil (BB), outra instituição financeira controlada pelo governo federal, já tem sete agências em cidades como Tóquio, Hamamatsu e Nagoya. A abertura do escritório de representação em Hamamatsu, de acordo com Peró, faz parte do projeto de internacionalização da Caixa iniciado em 2004. Em setembro passado, a Caixa recebeu do Banco Central autorização para operar no mercado de câmbio e realizar operações de financiamento ao comércio exterior. A Caixa aguarda também o sinal verde do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos) para instalar um escritório de representação em Nova Jersey. "Esperamos que isto ocorra nos próximos três meses", disse Peró. A intenção é se aproximar da comunidade de brasileiros que moram nos Estados da região Nordeste dos Estados Unidos, onde, pelas estimativas do Ministério das Relações Exteriores, estão 70% dos brasileiros residentes em solo americano. As cidades de Nova Jersey, Nova York e Pensilvânia concentram 400 mil emigrantes. Para a Europa, os planos da Caixa são mais de médio e longo prazo. "É um mercado que ainda estamos estudando", explicou Peró.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.