Camex reduz alíquota de importação para vacinas contra Influenza A

Redução foi de 2% para zero em dois tipos de vacinas contra a chamada gripe suína

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

09 de fevereiro de 2010 | 19h00

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) reduziu de 2% para zero a alíquota do imposto de importação para dois tipos de vacinas contra a Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína.

As vacinas foram incluídas à lista brasileira de exceções à Tarifa Externa Comum (TEC) praticada pelo Mercosul. Segundo a Camex, a redução da alíquota faz parte do esforço do governo para conter a doença nos períodos em que as temperaturas ficam mais baixas, com o programa de vacinação que deve ter início no próximo mês.

A Camex informou também que, apesar de a redução ser de apenas 2 pontos porcentuais, a medida irá gerar uma economia considerável na importação do produto.

A Camex incluiu mais seis itens à lista de exceção, como cogumelos, dicromato de sódio (matéria-prima de produto utilizado em curtumes), inseticida à base de acefato (que não tem produção nacional), e borracha nítrica (utilizada na fabricação de produtos de borracha com alta resistência a óleos, solventes e combustíveis). No caso dos cogumelos e da borracha, houve aumento da alíquota de importação. Nos demais casos, o imposto caiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.