Captação da previdência privada cresce 41,38% em abril

O grande destaque do mês foram os planos tradicionais com alta de 84,69%

Agencia Estado

25 de junho de 2007 | 16h29

A captação da previdência privada avançou 41,38% em abril ante o mesmo mês do ano passado, atingindo a marca de R$ 2,1 bilhões, segundo revelou os dados divulgados hoje pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi).De acordo com a instituição, o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) impulsionou o crescimento no quarto mês do ano, passando de R$ 961,5 milhões para R$ 1,426 bilhão entre abril de 2006 e abril de 2007, o que representa um crescimento de 48,39%.O grande destaque do mês, segundo a Fenaprevi, foram os planos tradicionais que tiveram alta de 84,69%. A captação desta modalidade passou de R$ 192,6 milhões, no quarto mês do ano passado, para R$ 355,9 milhões em abril deste ano.Já o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) apresentou uma redução de 3,79%, o que representou uma captação de R$ 317,5 milhões (abril de 2007) ante R$ 330 milhões (abril de 2006).Os outros produtos de previdência (FAPI, PGRP e VGRP) também apontaram recuo no quarto mês deste ano. Essas modalidades captaram R$ 745 mil, o que representa uma queda de 60,56% na comparação com abril de 2006, quando foram captados R$ 1,889 milhão.Tipos de planosPor tipo de plano, os dados da instituição mostram que em abril os planos para menores registraram o melhor desempenho, com alta de 138,71%, consolidando captação de R$ 134,801 milhões.Os planos individuais captaram, por sua vez, R$ 1,574 bilhão, o que representa uma alta de 29,86%. Os planos corporativos registraram avanço de 80,45% na captação no período, somando R$ 391,3 milhões.QuadrimestreA Fenaprevi também divulgou os dados do primeiro quadrimestre do ano. No período de janeiro a abril deste ano, a previdência privada captou R$ 8,078 bilhões, o que representa um crescimento de 25,08% ante o mesmo período de 2006.A captação de VGBL no primeiro quadrimestre registrou alta de 34,58%, atingindo a marca de R$ 5,430 bilhões. O PGBL também apresentou movimento positivo e captou R$ 1,431 bilhão, o que representa uma variação positiva de 0,61% em relação ao registrado no primeiro quadrimestre de 2006.Os planos tradicionais e os produtos de previdência também cresceram nos primeiros quatro meses do ano, tendo saldo positivo de 22,26% e 53,42%, respectivamente.Em relação aos tipos de planos, os planos para menores também registraram o maior crescimento no período. De janeiro a abril de 2007, eles avançaram 84,51%, consolidando captação de R$ 438,3 milhões.Os planos corporativos aparecem na segunda colocação, atingindo R$ 1,502 bilhão no período, registrando alta de 35,19%. Os planos individuais também tiveram um bom desempenho no período, com alta de 20,13% na captação, totalizando R$ 6,138 bilhões.RankingA Fenaprevi divulgou no balanço o ranking de captação das instituições no mês de abril de 2007. A Bradesco Vida e Previdência está na primeira colocação, com 38,51% do total. Em seguida aparecem o Itaú (20,15%), Brasilprev (11,67%), Caixa Vida e Previdência (6,6%), Unibanco (5,23%), HSBC (4,46%) e Santander (3,81%). ()

Mais conteúdo sobre:
previdênciafundoscaptação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.