CDS de bancos gregos e espanhóis têm forte oscilação após testes

Os CDS dos bancos de outros países não foram afetados pelos os resultados dos testes

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

23 de julho de 2010 | 15h53

 Os contratos CDS (Credit Default Swap) das instituições financeiras gregas e espanholas apresentavam forte oscilação, após o Comitê de Supervisores Bancários Europeus (CEBS, na sigla em inglês) divulgar os resultados dos testes de estresse dos bancos europeus.

 

O custo do seguro da dívida do National Bank of Greece caiu 11% em comparação com os níveis observados na quinta-feira, para 758 pontos-base, equivalente a US$ 758 mil por ano para cobrir US$ 10 milhões em dívida para cinco anos, de acordo com o Markit Data. O CDS do EFG Eurobank Ergasias, o terceiro maior banco grego, recuou 13%, para 755 pontos-base. O custo do seguro da dívida dos espanhóis Banco Popolare Societa Cooperativa e Banco de Sabadell cedeu 8% e 7%, respectivamente, para 277 pontos-base e 272 pontos-base.

 

Os CDS dos bancos de outros países não foram afetados pelos os resultados dos testes.

 

"Houve tantos vazamentos sobre os resultados que as pessoas esperavam que a maioria dos bancos passasse nos testes, e os que não passaram, como as cajas espanholas e o Hypo Real Estate, você sabe que vão obter ajuda", disse Gary Jenkins, da Evolution Securities. "Há uma diferença entre falhar em um teste de estresse e ser permitido falhar. Nenhum governo europeu vai repetir a experiência do Lehman Brothers muito em breve."

 

O custo do seguro da dívida (CDS) grega contra não-pagamento ou default recuou 1,55% em comparação com os níveis de quinta-feira, para 749,3 pontos-base, o equivalente a US$ 749.300 por ano para cobrir US$ 10 milhões. O CDS contra não-pagamento ou default de Portugal caiu 8,22%, o da Itália cedeu 4,82% e o da Irlanda perdeu 2,48%. Já o CDS da Espanha permaneceu estável, enquanto o da Alemanha aumentou 2,45%, após um dos bancos do país não passar no teste.

 

Com base nos preços atuais do CDS e nos níveis de recuperação supostos, a probabilidade de um default grego é de 48,41%, a de Portugal é de 20,88%, a da Irlanda é de 18,86%, a da Itália é de 13,23% e a da Espanha é de 16,13%. Na Alemanha, essa probabilidade é de 3,51%, enquanto que na Hungria é de 26,08%, na França é de 6,08% e no Reino Unido é de 5,67%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CDSbancosestressegrego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.