Cemig e Braskem sobem após balanços do 1º trimestre

Os papéis de Cemig e Braskem operam em alta, após as empresas apresentarem balanços do primeiro trimestre de 2006. Às 11h06, as preferenciais da elétrica avançavam 1,19%, a R$ 102,25 (oscilação entre R$ 99,22 e R$ 102,39) e as preferenciais classe A da Braskem valorizavam 1,41%, a R$ 15,15, depois de oscilarem entre R$ 14,90 e R$ 15,40. A Braskem apresentou lucro líquido em linha com o esperado pelos analistas consultados pela Agência Estado. Já o fluxo operacional de caixa - ganhos antes do pagamento de impostos, taxas, depreciações e amortizações, ou Ebitda - superou um pouco a estimativa, enquanto a receita veio abaixo das projeções. A companhia registrou lucro de R$ 122 milhões, com queda de 41%. As projeções apontavam ganho de R$ 125,9 milhões. Para o Ebitda, os especialistas projetavam queda de 48,4%, para R$ 355,2 milhões, enquanto a empresa registrou R$ 400 milhões. Já a receita líquida, de R$ 2,637 bilhões, veio abaixo do estimado que era, em média, de R$ 2,829 bilhões. No caso de Cemig, o lucro líquido de R$ 339,727 milhões apurado pela elétrica, com redução de 38,76%, ficou 14,9% abaixo da estimativa média dos analistas ouvidos pela AE. As estimativas eram de um ganho de R$ 399 milhões. A geração de caixa medida pelo Ebitda, de R$ 701,587 milhões no primeiro trimestre deste ano (queda de 19,48%), ficou 11,2% abaixo da previsão, que era de R$ 790 milhões. Com relação à receita líquida, o resultado apresentado pela estatal mineira, de R$ 2,243 bilhões (alta de 5,39%), ficou 5,3% acima dos cálculos dos analistas, que projetavam um resultado de R$ 2,131 bilhões.

Agencia Estado,

04 de maio de 2006 | 11h11

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.