Cenário externo melhora e bolsas da Europa sobem

As bolsas da Europa fecharam esta sessão em alta, com o apetite dos investidores sendo alimentado pela melhora no quadro geopolítico. No domingo, 17, ministros de Relações Exteriores da Rússia, Ucrânia, Alemanha e França se reuniram para discutir a crise no Leste Europeu. Segundo o representante russo, Sergey Lavrov, foi fechado um acordo para permitir a entrada na Ucrânia do comboio de caminhões com ajuda humanitária para vítimas dos conflitos no leste ucraniano. Lavrov, no entanto, disse que ainda não houve progresso em direção a um cessar-fogo entre combatentes ucranianos e separatistas pró-Moscou.

FRANCINE DE LORENZO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

18 de agosto de 2014 | 13h53

No Iraque, forças iraquianas e curdas, auxiliadas pelos EUA, retomaram o controle da maior represa do país, que estava sob domínio de militantes do grupo fundamentalista Estado Islâmico.

Com a menor aversão a risco, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, subiu 1,68%, para 9.245,33 pontos, acompanhado pelo CAC-40, da Bolsa de Paris, que avançou 1,35%, para 4.230,65 pontos. Em Londres, o FTSE-100 registrou alta de 0,78%, para 6.741,25 pontos, enquanto o Ibex-35, de Madri, ganhou 1,28%, aos 10.353,40 pontos, e o FTSE-MIB, de Milão, subiu 0,82%, para 19.639,90 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o PSI-20 avançou 2,37%, encerrando o pregão os 5.654,35 pontos. Em Moscou, o índice Micex teve valorização de 0,52%, aos 1.425,18 pontos. Os ganhos generalizados levaram o índice pan-europeu Stoxx Europe 600 a elevação de 1,18%, para 333,62 pontos.

O desempenho positivo também teve influência do resultado acima do esperado do mercado imobiliário americano em agosto. Hoje, a Associação Nacional das Construtoras de Casas (NAHB, na sigla em inglês) informou que o índice de confiança das construtoras dos EUA subiu para 55 em agosto, de 53 em julho, superando a expectativa de estabilidade em 53.

Os investidores ainda aguardam pelo discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, na próxima sexta-feira no simpósio em Jackson Hole, quando novas sinalizações sobre o futuro da política monetária dos EUA podem surgir.

Entre os papéis de destaque neste pregão estão os das montadoras Renault (+2,52%) e Daimler (+2,14%), além das ações da ArcelorMitall (+2,90%), da Alcatel-Lucent (+2,90%), do ThyssenKrupp (+2,63%) e do Banif (+7,59%).

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.