Cenário se consolida e Bolsas de NY abrem em alta

As Bolsas de Nova York abriram em alta, após o crescimento abaixo do esperado no número de vagas criadas em julho pelas empresas localizadas nos EUA acentuar a possibilidade de o Fed (banco central americano) manter o juro em 5,25% ao ano na próxima terça-feira. O índice Dow Jones avançava 0,65% às 10h34, seguido pelo Nasdaq, em alta de 0,89%. Em julho, foram criadas 113 mil novos postos de trabalho nos EUA em relação a junho, abaixo da expectativa de um aumento de 150 mil. Paralelamente, a taxa de desemprego subiu para 4,8%, de previsão de 4,6%. Os investidores desconsideram as modestas revisões em alta feitas para os relatórios do mercado de trabalho de junho e maio - foram criadas mais 11 mil vagas em relação aos números originalmente divulgados. O dado que mostrou alta de 0,4% no ganho médio por hora trabalhada superou as estimativas, mas não gera obstáculo para a consolidação da percepção de que o Federal Reserve deve encerrar seu ciclo de aperto monetário. As ações da Apple reduziam a queda para 3,4% no pré-mercado de Nova York, após a fabricante do iPod ter informado que, provavelmente, terá de republicar seus balanços desde setembro de 2002, após uma investigação interna ter encontrado evidências adicionais de irregularidades sobre gratificações em opções de ações. Os papéis classe A da Hovnanian Enterprises perdiam 6,8%, depois que a empresa limou sua previsão de lucros para o terceiro trimestre e o ano completo de 2006. A empresa previu lucro entre US$ 5,00 e US$ 5,75, abaixo da previsão anterior de lucro de US$ 7,20 a US$ 7,40. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2006 | 10h35

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.