Ceticismo com Opep persiste e petróleo fecha em queda

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Intercontinental (ICE, em Londres). Pelo segundo dia consecutivo, o mercado mostrou dúvida de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) consiga implementar sua decisão de reduzir a produção. Hoje, a Arábia Saudita, maior exportador mundial, anunciou que vai reduzir sua produção em 380 mil barris por dia a partir de 1º de novembro e que está preparada para cortar mais 500 mil barris por dia depois da próxima reunião da Opep, marcada para 14 de dezembro. Operadores disseram que seu ceticismo não é quanto a um corte de produção pela Arábia Saudita, mas quanto a outros integrantes da Opep. Para Tom Bentz, do BNP Paribas, "o mercado não reagiu bem ao último corte de produção. É melhor eles continuarem a fazer declarações positivas; se não, os preços vão cair mais US$ 5". Bentz disse que o mercado está "muito vulnerável" a novas quedas de preço, depois do vencimento dos contratos para novembro, na última sexta-feira, no nível mais baixo dos últimos 11 meses. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para dezembro fecharam a US$ 58,81 por barril, em queda de US$ 0,52, ou 0,88%; a mínima foi em US$ 58,12 e a máxima em US$ 59,47. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para dezembro fecharam a US$ 59,21 por barril, em queda de US$ 0,47, ou 0,79%, com mínima a US$ 58,52 e máxima em US$ 59,75. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2006 | 17h41

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.