Chile pretende emitir US$ 1,5 bi em bônus globais em 2010

Parte da emissão será em pesos - primeira colocação externa em moeda própria

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 14h38

O Chile irá emitir um total de US$ 1,5 bilhão em bônus globais durante 2010, informou o ministro das Finanças, Felipe Larrain. Serão emitidos US$ 1 bilhão em papéis denominados em dólares com vencimento em 10 anos e US$ 500 milhões em papéis denominados em pesos com vencimento em 10 anos. A operação em pesos será a primeira colocação do país no exterior em sua própria moeda. Segundo o ministro, o Chile dará entrada ao registro das emissões na SEC. Larrain não detalhou quanto será emitido no mercado doméstico este ano.

 

A emissão externa, além de prover recursos para reconstrução de áreas danificadas pelo quinto maior terremoto da história do país, faz parte de uma iniciativa mais ampla de emissões regulares no mercado externo e criação de uma referência de juro para emissões corporativas. "Estamos criando um compromisso com o mercado", afirmou Larrain.

 

Segundo Larrain, o Chile não possui atualmente um bônus de referencia no mercado externo. Ele acrescentou que a dívida atual do país corresponde a menos de 1% do PIB, o que deve assegurar ao governo um bom preço para sua nova colocação.

 

Larrain acrescentou que o governo está em processo de seleção dos bancos coordenadores da operação. O ministro das Finanças. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
emissãoChilebônus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.