China anuncia compra de 150 aviões da Airbus

A China anunciou a aquisição de 150 aviões modelo A320 e a opção de compra de 20 aparelhos A350 da Airbus. Segundo a Agência de Notícias Xinhua, o acordo foi celebrado hoje nas presenças do presidente chinês, Hu Jintao, e do presidente francês, Jacques Chirac, em Pequim. Valores do negócio não foram divulgados.O acordo foi homologado por executivos da China Aviation Supplies and Export Group Corporation (CASGC) e da Airbus. As vendas, na opinião dos analistas ouvidos pela imprensa local, foram viabilizadas após o consórcio europeu investir aproximadamente 7 milhões de euros na instalação de uma linha de montagem dos modelos A320 na cidade de Tianjin, localizada a 160 km de Pequim. "A Airbus estima que possa conquistar outras 638 encomendas até 2010", afirma o site do China Securities Journal.O modelo A320 liderou as vendas internacionais no ano passado, com 918 unidades. A implantação de sua linha de montagem em Tianjin, na opinião dos chineses, faz parte da estratégia adotada pelo consórcio europeu para conquistar 60% do mercado doméstico nos próximos anos. Os analistas também afirmam que a nova planta - a primeira da Airbus fora do território europeu - consolida sua presença no mercado asiático, que deverá responder por mais de 30% do faturamento da Airbus até 2010.A iniciativa da Airbus se justifica. Segundo o vice-presidente de marketing da Boeing, Randy Baseler, rival direta da Airbus em vários segmentos da aviação civil mundial, as companhias aéreas chinesas deverão investir mais de US$ 280 bilhões na aquisição de 2.900 aparelhos até 2025. "O mercado da aviação civil chinês deverá crescer a uma taxa anual de 9% nos próximos anos", projeta o executivo.Já no segmento de aviões regionais, a Embraer, uma das gigantes mundiais do segmento, acredita que as empresas de aviação civil chinesas adquiram 590 aparelhos com capacidade para transportar entre 30 e 120 passageiros nos próximos vinte anos.A China negou hoje que esteja desenvolvendo um avião de passageiros de grande porte capaz de concorrer com os aparelhos da Airbus e da Boeing, apesar de o projeto figurar entre as metas do 11º Programa Qüinqüenal (2006-2010). "A China ainda não definiu o prazo para produzir aviões de grande porte, mas está a caminho de fabricar aviões de reabastecimento", declarou o diretor da Administração Nacional do Espaço, Sun Laiyan.O diretor, entretanto, admitiu que a fabricação de aviões de reabastecimento é um dos passos necessários para a produção de "aviões de passageiros de ampla fuselagem". Em seguida, ele reconheceu que "a China dispõe da tecnologia necessária para produzir aviões de reabastecimento e aviões de propósitos gerais e está se preparando para desenvolver aviões de passageiros de grande escala e helicópteros civis". Conforme Sun, a família de aviões de reabastecimento chineses já recebeu 41 pedidos.

Agencia Estado,

26 de outubro de 2006 | 09h22

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.