China fecha em alta depois de queda recorde de ontem

O mercado chinês recuperou parte de suas perdas nesta sessão, depois de ter registrado a maior queda porcentual em dez anos ontem. O Xangai Composto subiu 3,9% (aos 3.025,75 pontos) - depois da queda de 8,8% - e o Shenzhen Composto avançou 3,8%, aos 736,81 pontos (ontem, a baixa foi de 8,5%), com a decisão dos investidores de aproveitar boas oportunidades de compra, estimulados também pela perspectivas otimistas no longo prazo. Os agentes reguladores do mercado negaram os rumores de que haveria taxação de 20% sobre os ganhos de capital nos investimentos em ações. Esses boatos contribuíram para a forte queda de ontem. Administradores de fundos e analistas disseram que o forte crescimento da economia chinesa continuará a sustentar o mercado no longo prazo. Dentre as ações mais negociadas, China United Telecommunications avançou 7,4%, depois de ter caído 9,9% ontem. O Banco Comercial e Industrial da China (ICBC, na sigla em inglês) subiu 4,5% (baixa de 8% na terça-feira) e China Yangtze Power teve alta de 6%, recuperando parte da queda de 10% na sessão anterior. O yuan subiu e no fim do dia o dólar estava cotado a 7,7385 yuans no sistema automático de preços, de 7,7378 yuans do fechamento de terça-feira. A queda do dólar em relação ao iene em Nova York auxiliou a valorização da moeda chinesa pelo segundo dia consecutivo. A unidade norte-americana recuou para 117,93 ienes em Nova York, de 120,56 ienes na segunda-feira. O movimento de vendas de posições nos mercados globais arrastou as ações negociadas na Bolsa de Hong Kong ao terreno negativo, mas as perdas foram limitadas pela recuperação de parte do mercado chinês e pela procura de investidores por boas ofertas. O índice Hang Seng fechou em baixa de 2,5%, aos 19.651,51 pontos. O volume negociado acima de 80,49 bilhões de dólares de Hong Kong, quebrando o recorde de 79 bilhões de dólares de HK de 28 de agosto de 1998, quando o governo interveio no mercado. Para analistas, esse recuo era esperado, por tratar-se de uma correção. HSBC caiu 0,8%; China Mobile fechou em baixa de 3,1%. China Life recuou 3,2%; Banco Comercial e Industrial da China (ICBC) declinou 2,93% e Ping An perdeu 2,5%. A única blue chip a fechar em alta foi Kong Electric, com ganho de 0,3%. Na Coréia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 2,6%, para 1.417,34 pontos, seguindo as baixas de Wall Street ontem. Na primeira parte do pregão, o índice chegou a registrar 1.393,96 pontos. A baixa foi liderada pelas ações de bancos e da siderúrgica Posco. ?Os investidores parecem estar excessivamente preocupados sobre a possibilidade de diminuição da liquidez?, disse Shim Jae-Youb, da Meritz Securities. ?O desempenho do mercado na sexta-feira vai depender muito da performance global amanhã.? A Bolsa sul-coreana não funcionará na quinta-feira em razão do feriado do Dia do Movimento pela Independência. Kookmin Bank teve baixa de 2,6% depois de ter registrado alta acumulada de 12% em fevereiro. Samsung Electronics caiu 2,4%. Posco perdeu 5,2%, mas neste mês havia apurado alta de 9%. A Bolsa de Manila registrou a maior baixa entre as asiáticas, seguindo as quedas do mercado chinês e em Wall Street ontem, além das preocupações sobre a desaceleração da economia global. O PSE Composto caiu 7,9%, aos 3.067,45 pontos, seu pior desempenho desde 17 de janeiro, quando fechou aos 3041.56. Philippine Long Distance Telephone Co., a ação mais negociada do pregão, recuou 9%, após baixa de 12% de seus ADRs em Nova York. O mercado australiano teve hoje seu maior recuo desde os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, seguindo as quedas registradas em mercados externos. O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney caiu 2,7%, para 5.832,5 pontos. Alguns analistas disseram que o mercado irá permanecer vulnerável no curto prazo, mas a maioria mantém as expectativas de alta até o final do ano. As quedas foram lideradas por empresas mineradoras: Paladin teve baixa de 9,1%, Zinifex recuou 6,6% e BHP Billiton caiu 6%. Macquarie Bank perdeu 6,5% e ASX fechou 6% abaixo do preço registrado na véspera. Já Queensland Gas subiu 14% em razão da oferta de compra do TCW Group. O índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia) encerrou o pregão em baixa de 3,28%, aos 1.196,45 pontos. Na Bolsa de Cingapura, o índice Strait Times recuou 3,72%, para 3.111,94 pontos. Na Indonésia, a Bolsa de Jacarta fechou em baixa também: o índice JSX Composto caiu 1,31%, para 1.740,97 pontos. A Bolsa de Taiwan não abriu porque é feriado no país. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.