China lidera perdas nos mercados da Ásia

 Em outra direção, pregões de Sydney e Seul terminaram em terreno positivo influenciados pelo câmbio

14 de maio de 2013 | 07h09

Os mercados de ações da Ásia fecharam em direções divergentes nesta terça-feira. A China liderou as perdas na região em meio a preocupações sobre os dados econômicos anunciados recentemente. Por outro lado, os pregões de Sydney e Seul terminaram em terreno positivo influenciados pelo câmbio.

Segundo especialistas, os dados econômicos chineses de abril indicam que a recuperação econômica é bastante moderada, no entanto, há expectativas pequenas mas crescentes de um relaxamento monetário no país.

O crescimento de investimentos em ativos fixos e a atividade industrial desaceleraram em abril, segundo dados oficiais divulgados anteriormente.

Os formuladores de políticas da China vivem um dilema, uma vez que cortes nas taxas de juros impulsionarão o crescimento, mas, por outro lado, a China precisa amenizar a inflação assim como evitar que os preços dos imóveis subam rápido demais, disseram analistas.

Em meio a essas incertezas, o índice Xangai Composto caiu 1,1%, para 2.217,01 pontos, e o índice Shenzhen Composto recuou 1,4%, para 960,81 pontos.

As ações em Hong Kong também terminaram em terreno negativo. O índice Hang Seng caiu 0,3%, para 22.930,28 pontos, com realização de lucros, somando duas sessões seguidas de baixas após ganhos recentes.

Já na Coreia do Sul, o índice Kospi ganhou 1,0% e fechou o pregão com 1.968,83 pontos. Montadoras e empresas de tecnologia avançaram em Seul, tendo em vista que a recuperação do iene japonês ante o dólar proporcionou um certo alívio para o mercado local. A Kia Motors subiu 3,8% e a Hyundai Motor avançou 2,7%, enquanto a Samsung Electronics obteve alta de 1,6% e a LG Display ganhou de 2,9%.

Os exportadores sul-coreanos são influenciados pela variação do iene, pois os concorrentes japoneses obtém uma certa vantagem competitiva com a desvalorização da própria moeda.

O mercado de ações da Austrália avançou pela terceira sessão consecutiva nesta terça-feira com o enfraquecimento ainda maior do dólar australiano. Empresas que não trabalham com recursos naturais e tem renda em dólar norte-americano permaneceram em demanda. No entanto, o recuo dos preços das commodities limitou o setor de recursos.

O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em alta de 0,2%, aos 5.221,0 pontos. A Newcrest Mining perdeu 2,5% e a Atlas Iron recuou 4,2%.

As ações na Bolsa de Taipé terminaram estáveis, com o índice Taiwan Weighted fechando o pregão com 8.251,82 pontos. Os investidores locais estão cautelosos, uma vez que aguardam notícias sobre um possível imposto sobre ganhos de capital.

Já, nas Filipinas, a Bolsa de Manila fechou em um novo recorde, puxada para cima por resultados positivos de lucros das empresas e uma resolução pacífica das eleições. O índice PSEi ganhou 0,7%, aos 7.313,46 pontos. AS informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁSIABOLSAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.