China mantém pressão sobre as Bolsas da Ásia

Desaceleração do crescimento econômico chinês fez a maioria das bolsas da região fechar em queda

Antonio Rogério Cazzali, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, Agencia Estado

29 de março de 2012 | 07h37

A maioria dos mercados asiáticos seguiu em baixa nesta quinta-feira. As preocupações sobre a desaceleração do crescimento econômico da China continuaram a influenciar os investidores da região. Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que acabou arrastada pela baixa em Xangai. O índice Hang Seng perdeu 276,03 pontos, ou 1,3%, e encerrou aos 20.609,39 pontos.

As persistentes incertezas sobre a recuperação na economia doméstica estimularam os investidores a realizar lucros nas Bolsas da China, depois do rali verificado nos últimos dois meses. O índice Xangai Composto caiu 1,4% e terminou aos 2.252,16 pontos, após cair 2,7% no pregão anterior. O índice Shenzhen Composto recuou 1,6% e encerrou aos 895,07 pontos.

O yuan terminou estável ante o dólar, com os traders e empresas recuando em seus negócios antes do longo fim de semana (os mercados financeiros chineses estarão fechados de sábado a quarta-feira devido a feriado nacional). No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3060 yuans, mesma cotação de ontem. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada pelo banco central em 6,2932 yuans, de 6,2912 yuans na véspera.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou na maior baixa em seis semanas, diante das renovadas preocupações de que o governo irá impor um imposto sobre os ganhos de capital. Os temores sobre a desaceleração da economia da China também influenciaram. O índice Taiwan Weighted recuou 2,06% e fechou aos 7.872,66 pontos.

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul também fechou no campo negativo. O índice Kospi perdeu 0,85% e terminou aos 2.014,41 pontos, devido aos problemas financeiros na Espanha e à desaceleração dos pedidos de bens duráveis nos EUA.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, fechou em baixa, arrastada por desempenhos menores de mineradoras e companhias de energia, e também pela construtora Leighton Holdings, que reduziu sua previsão de lucro. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,13% e encerrou aos 4.337,91 pontos.

Já a Bolsa de Manila, nas Filipinas, teve ligeira alta, alavancada pelas compras para melhoria de portfólio do fim do trimestre. O índice PSE subiu 0,3% e terminou aos 5.085,24 pontos, com pesado volume de negociações.

A Bolsa de Cingapura teve baixa, segundo fechamento negativo em Wall Street com novas preocupações sobre as perspectivas econômicas dos EUA pesando sobre o sentimento do consumidor nos mercados globais. O índice Straits Times caiu 0,7% e fechou aos 2.994,09 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 0,4% e terminou aos 4.105,17 pontos, com compras de fundos estrangeiros na expectativa de pagamentos de dividendos generosos.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, terminou estável aos 1.203,91 pontos, com compras de papeis do setor bancário encobrindo as perdas no setor de energia.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur teve alta de 0,1% e encerrou aos 1.585,44 pontos, com destaque a papeis do setor financeiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.