Cias chinesas lideram a alta de 0,4% da Bolsa de HK

Grandes companhias chinesas, beneficiadas pela forte valorização do yuan nas últimas semanas, puxaram a alta de hoje na Bolsa de Hong Kong. O índice Hang Seng subiu 0,4%. China Móbile teve alta de 1,6% e China Merchants Bank avançou 6,7%. O mercado chinês está fechado nesta semana devido a um feriado. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o pregão com o índice Taiwan Weighted apontando queda de 0,1%, depois de ter atingido ontem sua maior alta dos últimos quatro meses. As ações da fabricante de PCs Quanta Computer subiram 7% com a notícia de que a empresa pode ser comprada pela Hon Hai. AU Optronics, terceira maior fabricante de telas de cristal líquido do mundo, teve queda de 1,1%. Na Austrália, um conjunto de dados econômicos positivos impulsionou o índice S&P/ASX 200 para uma leve alta de 0,1%. As vendas no varejo subiram 0,3% em agosto, contra uma expectativa de 0,2% do mercado. O número de construções autorizadas caiu 12,6% nesse mesmo mês, enquanto a expectativa do mercado era de queda de 3%. De acordo com os operadores do mercado, a combinação desses índices é boa para o mercado acionário, já que não deve afetar a decisão do banco central australiano para a taxa de juros. A expectativa é de que amanhã o banco central anuncie a manutenção dos juros em 6% ao ano. As ações da BHP Billiton se recuperaram e fecharam com alta de 0,4%. A queda na cotação do petróleo prejudicou os papéis das empresas de energia. Woodside Petroleum sofreu perda de 2,9%. O índice PSE da Bolsa de Manila fechou em queda de 0,79%, por conta das companhias afetadas pelo tufão Xangsane, que atingiu as Filipinas na semana passada e causou até agora cerca de 190 mortos, segundo a imprensa local. Manila Electric caiu 1,7%. Na Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia), índice composto de 100 blue chips caiu 0,22%. O Strait Times da Bolsa de Cingapura perdeu 0,26%. Na Bolsa de Jacarta (Indonésia), o JSX Composto teve alta de 0,58%. A Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, não abriu devido a um feriado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.