Citroën vai levar tecnologia flex para fábricas na Suécia

A Citroën do Brasil está desenvolvendo a tecnologia flex para automóveis da marca fabricados na Suécia. Será a primeira vez que o Brasil vai exportar o sistema que permite ao automóvel rodar com álcool, gasolina ou a mistura de ambos. A montadora está adaptando a tecnologia bicombustível em quatro modelos feitos pela subsidiária sueca do grupo: C2, C3, C4 e C5, numa ação conjunta com a Bosch e a Magneti Marelli, fabricantes dos sistemas flex.Outras montadoras, principalmente as européias, também estão sendo convocadas por suas matrizes para assessorarem no desenvolvimento do motor flexível. Nenhuma delas pretende importar carros flex do Brasil, mas sim a tecnologia para ser adaptada em carros de fabricação própria.Segundo Sérgio Habib, presidente da Citroën do Brasil, em um ano a subsidiária sueca deverá equipar modelos com o sistema bicombustível brasileiro. "O país quer ser totalmente independente do petróleo até 2015 e quer adotar o álcool como principal combustível", diz o executivo.Na Europa, o álcool é obtido de produtos como beterraba e milho, mas o Brasil pode ser um fornecedor potencial de álcool da cana-de-açúcar.Cledorvino Belini, presidente da Fiat, tem recebido inúmeras missões de países europeus interessados na tecnologia adotada pela indústria brasileira desde 2003. Hoje, mais de 70% dos carros novos vendidos no Brasil são flex. "A Itália está bastante interessada e há possibilidade de exportamos a tecnologia", diz.Honda e ToyotaA Honda apresenta no Salão os modelos Civic e Fit flex, que começam a ser vendidos em novembro e dezembro, respectivamente. A tecnologia foi desenvolvida pela matriz no Japão, com apoio de técnicos brasileiros, e tem uma novidade em relação ao sistema adotado pelas outras montadoras. O tanque para partida a frio, abastecido com gasolina, está instalado na parte externa do carro. Nos demais, o tanque está acoplado dentro do motor e é preciso abrir o capô para o abastecimento.A Toyota será a última entre as grandes montadoras instaladas no País a dispor da tecnologia flex. O sistema da marca também está sendo desenvolvido pela matriz no Japão, em conjunto com técnicos brasileiros, mas só estará disponível no modelo Corolla no primeiro semestre de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.