Cobre abre pressionado, mas recupera-se e passa a subir

Estoques de cobre na LME caíram 625 toneladas para 514.900 toneladas, o menor nível desde 8 de janeiro

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

30 de março de 2010 | 09h11

 O cobre abriu pressionado, em consolidação aos ganhos acumulados nos últimos dias, após ter atingido ontem uma máxima para 19 meses na London Metal Exchange (LME). Mais cedo, o contrato do cobre para três meses era negociado em baixa de US$ 10,00 a US$ 7.755,00 a tonelada na LME. Mas no pregão eletrônico da Comex, o cobre para maio já apresentava alta, de 0,44% a US$ 3,5500 por libra peso às 8h39 (de Brasília).

 

"Tecnicamente, (o cobre) parece bom", disse um trader em Londres, observando que o cobre rompeu a importante resistência de US$ 7.630,00 a tonelada ontem. "Se o metal superar US$ 7.800,00, então vários outros vendidos provavelmente entrarão no mercado", acrescentou.

 

O rali para a máxima em 19 meses pode estar relacionado a detentores de opções, que tentaram puxar o cobre para cima para fechar favoravelmente suas posições, disse. O trader acrescentou que o rali nos futuros do cobre provocou pouca reação no mercado físico, sugerindo que os consumidores não estão preocupados com uma eventual queda na oferta.

 

Os estoques de cobre na LME caíram 625 toneladas para 514.900 toneladas, o menor nível desde 8 de janeiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaiscobreLME

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.