Cobre e ouro sobem com apreciação do euro ante dólar

Decisão da Grécia de utilizar recursos da União Europeia e do FMI t tranquilizou mercados

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 16h16

Os preços dos contratos futuros do cobre e do ouro fecharam em alta, em meio a uma sessão mista para os metais básicos, impulsionados pelo fortalecimento do euro após a notícia de que a Grécia solicitou a utilização do pacote de auxílio preparado em conjunto pelos países europeus e pelo Fundo Monetário Internacional.

 

O apelo grego tranquilizou parcialmente os mercados financeiros e provocou uma apreciação do euro em relação ao dólar, o que favoreceu as commodities de forma geral. Pouco depois do fechamento dos mercados de metais, a moeda europeia subia para US$ 1,3367, de US$ 1,3311 na quinta-feira. "O ouro avançou depois que o euro ganhou força", disse  Sterling Smith, analista da Country Hedging.

 

O avanço nos preços do cobre também recebeu suporte dos dados do Departamento do Comércio dos EUA que mostraram um aumento de 26,9% nas vendas de imóveis residenciais novos no país em março, ante expectativa de aumento de 5,5%. O declínio de 1,3% nas vendas de bens duráveis nos EUA no mesmo período, no entanto, pesou sobre o complexo dos demais metais básicos e arrastou alguns contratos para o território negativo.

 

Os investidores do mercado de metais também estão preocupados com a possibilidade da China adotar medidas de aperto monetário para conter o crescimento da economia. Segundo o analista Edward Meir, da MF Global, "o receio com a sustentabilidade do crescimento chinês também deve pairar sobre os metais levando em consideração que as autoridades ainda precisam usar o trunfo do aumento nas taxas de juro".

 

Na rodada livre de negócios (kerb) da tarde da London Metal Exchange (LME), o contrato do cobre para três meses subiu US$ 57,00, ou 0,74%, para US$ 7.745,00 por tonelada. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o preço do contrato do cobre para julho avançou US$ 0,0240, ou 0,68%, para US$ 3,5305 por libra-peso, enquanto o contrato do ouro para junho subiu US$ 10,80, ou 0,94%, para US$ 1.153,70 por onça-troy.

 

Entre outros metais básicos negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses fechou em queda de US$ 7,00, a US$ 2.299,00 por tonelada, enquanto o contrato do zinco caiu US$ 18,00, para US$ 2.400,00 por tonelada. O contrato do alumínio avançou US$ 13,00, para US$ 2.332,00 por tonelada, enquanto o contrato do níquel perdeu US$ 40,00, para US$ 27.050,00 por tonelada. O contrato do estanho fechou em alta de US$ 145,00, a US$ 18.995,00 por tonelada. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
commoditiesmetaiscobreníquelouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.