Cobre fecha em alta na LME

Na Comex, o contrato do cobre fechou com elevação de 2,66%, para US$ 4,1050 por libra-peso

Clarissa Mangueira, da Agência Estado ,

18 de maio de 2011 | 15h37

Os contratos futuros do cobre fecharam acima de US$ 9.000 a tonelada pela primeira vez em duas semanas na London Metal Exchange (LME), impulsionados pela compra técnica e pela queda do dólar, embora traders e analistas duvidem da habilidade do metal para sustentar a sua trajetória atual no curto prazo. Em Nova York, o metal encerrou acima de US$ 4 a libra-peso pela primeira vez em mais de uma semana.

Depois de ter sido negociado numa faixa abaixo de US$ 9.000 a tonelada por uma série de sessões, o contrato do cobre para três meses finalmente quebrou esse patamar na sessão da tarde na LME. O movimento foi desencadeado pela queda do dólar antes da divulgação da ata da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), realizada nos dias nos dias 26 e 27 de abril, afirmou um trader.

O contrato do cobre para três meses negociado na LME fechou em alta de 3%, para US$ 9.064,00 a tonelada. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para julho fechou com elevação de US$ 0,1065, ou 2,66%, para US$ 4,1050 por libra-peso.

Apesar dos ganhos do cobre terem sido encorajadores, o metal continua vulnerável a rápidas mudanças no sentimento dos investidores, disseram analistas.

Após apresentarem estabilização nas últimas semanas, os estoques de cobre nos armazéns da LME aumentaram em 225 toneladas ontem, para 467.800 toneladas.

Entre os outros metais negociados na LME, o contrato do chumbo para três meses subiu US$ 135,00, para US$ 2.444,00 a tonelada, enquanto o do zinco avançou US$ 97,00, para US$ 2.188,00 a tonelada. O contrato do alumínio aumentou US$ 56,00, para US$ 2.556,00 a tonelada, enquanto o do níquel subiu US$ 550,00, para US$ 24.650,00 a tonelada. O contrato do estanho aumentou US$ 475,00, para US$ 28.350,00 a tonelada.

No mercado dos metais preciosos, os contratos do ouro e da prata fecharam em alta, em meio a preocupações com a inflação. O contrato do ouro para junho subiu US$ 15,80 ou 1,07%, para US$ 1.495,80 por onça-troy, na Comex. O contrato da prata para julho aumentou US$ 1,6060, ou 4,80%, para US$ 35,097 a onça-troy. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouroprata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.