Cobre fecha na maior cotação em 8 semanas na LME

Na Comex, o cobre para julho subiu 2,87%, para US$ 4,2095 por libra-peso

Clarissa Mangueira, da Agência Estado ,

29 de junho de 2011 | 16h08

Os contratos futuros do cobre fecharam no seu mais alto patamar em oito semanas na London Metal Exchange (LME), após o apetite por risco nos mercados ser impulsionado pela aprovação pelo parlamento grego do plano de austeridade de cinco anos. No entanto, os analistas continuam céticos sobre a duração do impacto da notícia sobre os preços dos metais básicos.

O contrato do cobre para três meses negociado na LME alcançou uma máxima em quatro semanas de US$ 9.245,00 a tonelada, embora os ganhos tenham sido reduzidos durante a sessão porque alguns investidores realizaram lucros. Mas no final da negociação, o cobre registrou mais uma vez um rali, fechando em alta de 2,7%, para US$ 9.320,00 a tonelada, sua cotação mais alta desde 4 de maio.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para julho subiu US$ 0,1175, ou 2,87%, para US$ 4,2095 por libra-peso.

Entre os outros metais negociados na LME, o contrato do alumínio para três meses subiu US$ 49,50, para US$ 2.633,50 a tonelada, enquanto o do zinco avançou US$ 41,00, para US$ 2.316,00 a tonelada. O contrato do alumínio teve alta de US$ 12,50, para US$ 2.532,00 a tonelada, enquanto o do níquel ganhou US$ 395,00, para US$ 23.070,00 a tonelada. O contrato do estanho subiu US$ 465,00, para US$ 25.840,00 a tonelada.

No mercado de metais preciosos, o contrato do ouro para agosto fechou com alta de US$ 10,2 na Comex, ou 0,68%, para US$ 1.510,40 a onça-troy. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEcobreouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.